Vocês que paguem!

Por Deyvid Xavier

Foto: globoesporte.globo.com

Desde o início da semana os bastidores do futebol vêm dando o que falar. Desta vez foi vetada a implantação do árbitro de vídeo em reunião realizada na CBF. A verdade é que a história está distorcida e a CBF joga a responsabilidade para os clubes, quando deveria ser dela.

Os clubes não foram contra a implantação dessa tecnologia, mas sim, contra eles mesmos terem que custear essa tecnologia. Na Europa, em países que adotaram o árbitro de vídeo, a organização do campeonato é quem paga os custos. No Brasil, na Superliga de vôlei, é a CBV, organizadora do torneio, que custeia esse tipo de tecnologia.

A CBF já tinha dito, ainda ano passado, após o gol de mão feito por Jô, que implantaria o árbitro de vídeo esse ano. Além de errar em não custear a tecnologia, erra no planejamento, pois mesmo que os clubes aceitassem tirar o dinheiro de seus bolsos, isso seria apenas para o segundo turno do Brasileirão.

É fato que essa situação, mais uma vez, expõe velhos problemas do futebol brasileiro. O primeiro é que a CBF é mal gerida; o segundo é a falta de união dos clubes. É estranho pensar que a entidade não pode arcar com os 20 milhões dito por ela que é o preço da nova tecnologia, mas paga 50 milhões de premiação para o campeão da Copa do Brasil. Enfim, ela transfere a responsabilidade, que seria dela, para os clubes. Se os clubes querem, eles que paguem!