Você conhece a vesteterapia?

Semana passada, recebi a seguinte mensagem:
– Tia Lu, gosto muito de saia midi.
– Segundo a Vesteterapia, ela tem algum significado místico?
Minha resposta foi esta:
– A saia midi está ligada com o elemento ar. Esta peça tem o poder de destacar a meiguice e a ternura existentes em cada mulher.
Reza a lenda que a saia modelo midi surgiu, há 3000 anos antes de Cristo, nas vestes de algumas deusas gregas e romanas. Depois esta peça reapareceu, em contos medievais, nas roupas de algumas fadas adolescentes representantes do elemento ar.

Durante a Primeira Guerra Mundial, as mulheres precisaram substituir os postos de trabalho dos homens e as saias compridas só atrapalhavam. Por isto, surgiram uniformes com saias mais curtas, um pouco abaixo do joelho, sempre acompanhadas com anáguas.

Nos anos vinte, a estilista Coco Chanel fez com que a saia midi ressurgisse com o corte na altura logo abaixo do joelho, também. A nova versão da estilista consistia em proteger as pernas da mulher quando ela se ajoelhasse.
Em fevereiro de 1947, Christian Dior lançou fez um desfile onde a peça em destaque foi uma versão da saia midi, com movimento e volume na altura dos tornozelos. Ela foi o maior sucesso deste estilista em 1949.

A saia midi se tornou símbolo dos anos 50 e a peça preferida das jovens para dançar Rock. Pois como esta saia era rodada e volumosa, muitas bailarinas podiam imitar movimentos de Dança Cigana e Flamenca no ritmo do Rock inaugurando um estilo chamado ladylike com cintura marcada, saia rodada e estampas que lembram o Balé Flamenco e Cigano.
No final dos anos 90, surgiu o estilo new ladylike com a saia midi um pouco mais curta, na altura do joelho. Mas com uma segunda saia embaixo. Por isto esta moda fez com que as anáguas, que desapareceram no final dos anos 70, ressurgissem. Porém este estilo não pegou muito na década de noventa, ficando restrita somente às celebridades.
Porém em 2016 o new ladylike surgiu com força total nas ruas. As mulheres voltaram a usar laços, bordados, rendas e saia midi brilhou porque ela foi muito bem recebida, principalmente, por moças de religiões evangélicas.

Em 2018 houve a mistura do new ladylike com o gótico. Deste jeito, surgiu o estilo chamado pastel goth, onde a saia midi é o principal destaque.

A Vesteterapia recomenda que quando uma mulher deseja destacar sua ternura e meiguice interior, ela coloque uma saia midi. Mas é sempre bom vestir uma anágua embaixo para evitar constrangimento caso o vento levante a saia.

Luciana do Rocio Mallon

Deixe uma resposta