Valdivia culpa sheik por fracasso na venda e nega sumiço

validvia-luismoura-ae
(Foto: Luis Moura/Agência Estado)

Valdivia está de volta ao Palmeiras. Liberado no dia 12 de julho para assinar com o Al Fujairah (EAU), o meia foi reintegrado ao elenco depois que o negócio foi cancelado e passou mais de uma hora dando entrevista nesta quinta-feira. Além de se dizer enganado e de informar que entrará na Justiça contra o clube dos Emirados Árabes, o camisa 10 se disse motivado para jogar, ganhar títulos e até reencontrar o estádio alviverde.

Bem-humorado, o chileno fez piada ao dizer que o Palmeiras passará a ter “limite de brasileiros” a partir do ano que vem. Também disse que não recebe privilégio nenhum no clube, tanto que estaciona o carro ao lado do lateral-esquerdo Juninho. Sobre seu “sumiço”, disse que devia satisfação aos árabes e que, com 30 anos, não precisa avisar nada aos pais. Voltou a cutucar o conselheiro Osório Furlan, dono de 36% dos seus direitos econômicos. E reafirmou que a péssima situação financeira do clube é o que pode fazê-lo dar adeus.

– O Palmeiras já negociou Barcos, negociou Henrique, que era o capitão, e mais alguns que estavam para se tornar referências. Abrir mão de jogadores importantes não é comum. Quer dizer que precisa da grana – disparou.

– É difícil usar argumentos, parece que estou chorando porque sofri um sequestro, agressão… Mas gosto do Palmeiras, fiz grande parte da carreira aqui e vou continuar do mesmo jeito. Se for para encerrar aqui, o único cara que vai ficar triste vai ser o Furlan.

Deixe uma resposta