TV Aparecida precisa aprender a fazer debate

visaotv

É duro! É difícil! É muito triste ter que bater em uma emissora que não tem os mesmos poderes e recursos que as gigantes possuem. Entretanto, não há como não ressaltar que o debate presidencial da CNBB e TV Aparecida foi, no mínimo, um fiasco.

Os erros começaram pela falta do cronômetro aos candidatos, que não conseguiam controlar o tempo de 1 minuto e meio e eram grosseiramente interrompidos pelo microfone cortado e a câmera focalizando o mediador, Rodolpho Gamberini. O âncora, aliás, de longa experiência, se meteu em uma furada. Pouco pôde fazer em algo planejado por quem nada entende de televisão, os padres. Não existiam jornalistas, as perguntas eram feitas por bispos e evitou-se ao máximo a troca de ideias entre os concorrentes.

Foto: Thiago Leon / A12
Foto: Thiago Leon / A12

Foi tudo pessoal demais. Ressaltando sempre os valores católicos, e a cidade da Padroeira do Brasil. Ou seja, o fato do futuro comandante do país estar presente no estúdio ficou em segundo plano. Em primeiro, tentou-se valorizar a religião. E, sabemos bem: no século XXI, no Brasil, especialmente, religião e política pouco se combinam, e graças a Deus não se combinam.

@LucasCanosa – BDI

Mande seu e-mail para Lucas Canosa : lucascanosa@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta