Tucanos enxergaram decreto infeliz e voltaram atrás

Foto: Divulgação

O absurdo decreto de Covas que determinava rodízio em dias alternados em São Paulo não diminuiu o isolamento social e aumentou o número de pessoas no transporte público. Consequentemente, a curva de contágio foi lá em cima enquanto o aliado do prefeito, o governador João Doria continua bravando contra Bolsonaro em suas coletivas.

O transporte em São Paulo, já dificultado pela quantidade de usuários e o péssimo serviço que oferece, em meio à pandemia, viu o número de passageiros ir lá no alto. Além disto, os empreendedores, já vivendo o pior momento de sua história, ficaram uma semana sem clientes ou impossibilitados de continuar seus serviços.

Ora, é fácil explicar. Se o cliente não tem carro para ir buscar seu produto, como o empresário tem veículo para abrir e manter seu negócio? O cadastro de placas autorizadas a continuarem rodando no período de rodízio, em muitos casos, demorou toda a semana para liberação, justamente o prazo do fim do rodízio.

Doria e Covas estão tão preocupados com a forma que vão atacar Bolsonaro que esquecem de governar seus territórios. Um deles, inclusive, só foi eleito por causa do presidente. 

Deixe uma resposta