Sequência de Annabelle consegue ser mais assustador que o primeiro

Quando saíram as notícias que a bonequinha encapetada ganharia uma sequencia, confesso que achei desnecessária de início e que faria só mais um filminho qualquer pra arrecadar dinheiro fácil com um orçamento enxuto e uma bilheteria bacana.

Porém a situação mudou de figura com os primeiros trailers da produção, comecei a entender que o “Universo do Terror” vai se expandir e até agora nenhum de seus filmes decepcionaram (Invocação do Mal 1 e 2 e o primeiro Annabelle) tanto na qualidade quanto nas bilheterias. O Primeiro filme da nossa querida boneca em 2014 não agradou à todos, muitos esperavam um novo “Boneco Chucky” que se levanta e sai esfaqueando meio mundo, pois ser exatamente o contrário disso é que a grande magia da personagem nos cinemas. O Segundo filme vem trazendo uma “nova” origem pra história, dessa vez temos órfãs religiosas no casarão da Família Mullins onde anos atrás perderam a sua filhinha Annabelle de forma trágica, o roteiro é muito preciso em logo de cara te colocar para dentro dos acontecimentos que irão culminar os atos mais tarde e a direção é muito precisa quanto a intensidade das cenas, temos cenas belíssimas e assustadoras, é uma montanha-russa de emoções. Quanto as cenas assustadoras prepare-se pois elas realmente assustam, se darão medo em você é outra conversa, estou falando de sustos! Elas conseguem ser superiores ao primeiro filme, algumas clichês como todo filme de terror tem, portas abrindo, vultos passando, objetos aparecendo e desaparecendo…Já outras conseguimos ver o diabo gárgula que aparece no primeiro filme. O Elenco infantil e adolescente composto por Talitha Bateman, Lulu Wilson, Philippa Couthard, Samara Lee, Lou Lou Safran, Tayler Buck e Grace Fulton são brilhantes! Destaque para Talitha e Lulu que formam uma dupla de amigas apaixonante. Os minutos finais do longa são simplesmente fantásticos, fazia tempo que não me empolgava tanto com o final de um filme nos cinemas (O último foi Fragmentado) muito bem amarrado a toda história criada para o universo de terror. Talvez o único pecado deste filme e que merece uma penitência, é sua trilha sonora, apesar de toques de Joseph Bishara, Benjamin Wallfisch segue uma linha mais comum e não tem nada tão marcante como nos anteriores. Annabelle 2 consegue se manter na mesma qualidade do primeiro, e promete agradar aos fãs do gênero de terror com suas cenas apavorantes. Agora é esperar para um terceiro filme com a história das enfermeiras que tiveram sob as garras da boneca fofa.

Deixe uma resposta