Sem Cristiano Ronaldo, Bale marca um golaço e Real Madrid conquista a Copa do Rei em cima do Barcelona

dimaria_barcelona_realmadrid_coparei_ap
(Foto: AP)

Os merengues venceram o Barcelona por 2 a 1 e conquistaram a Copa do Rei pela 19ª vez. Bale atuou na função do português, não decepcionou e foi o destaque da partida, fazendo o gol do título após uma longa arrancada do meio de campo até a área. Em noite discreta, Neymar acertou a trave aos 44 da segunda etapa.

Aos 10 minutos, Neymar perdeu a bola no ataque, o time da capital avançou com rapidez e encontrou Benzema posicionado na ponta esquerda. Com um ótimo passe, o francês encontrou Di María livre. O argentino avançou até a área, ficou no mano a mano com Alba, chutou cruzado sem muita força, mas José Pinto aceitou. 1 a 0 para o Real. A vantagem fez os madrilenhos jogarem do jeito que Carlo Ancelotti gosta. As duas linhas de quatro do meio e da defesa deixavam Messi e Fàbregas inativos e isolados na faixa central do campo. Neymar e Iniesta recebiam as bolas com maior facilidade nas pontas, mas como não tinham com quem jogar, apelavam para os lançamentos para a área, o que, definitivamente, não é o estilo do Barça. Mas não se pode subestimar um time com tantos craques quanto os culés.

Já no Segundo Tempo os catalães passaram a jogar muito mais soltos, pressionaram e chegaram ao gol – ironicamente, de um modo pelo qual a equipe não está acostumada. Aos 23 minutos, após cobrança de escanteio, Bartra subiu sozinho e cabeceou para o fundo do gol, fazendo algo que apenas Piqué parecia ser capaz no elenco culé. Era um outro clássico. O Real Madrid se encolheu, o time azul e grená passou a ter o duelo nas mãos, mas não aproveitou.
Em dois contra-ataques, os merengues acertaram a trave e fizeram o da vitória. Modric, aos 35 minutos, chutou de longe e fez a bola parar no poste direito do goleiro. Quatro minutos depois, o Real roubou a bola na defesa, e Bale correu como uma flecha na ponta esquerda, deixando Bartra para trás e chuta ao ficar de frente para o arqueiro do Barça. No último minuto, Neymar acertou a trave, mas o dia era dos merengues.

One thought on “Sem Cristiano Ronaldo, Bale marca um golaço e Real Madrid conquista a Copa do Rei em cima do Barcelona

  1. A origem da teoria de que ninguém é Vasco tem explicação…
    No ano 2000, o Vasco estampou a logomarca do SBT em sua camisa na final da extinta Copa João Havelange, sem receber qualquer remuneração por isso.
    O fato foi uma simples provocação à Rede Globo, que transmitiu a partida final do torneio entre Vasco e São Caetano.
    Desde então, a Rede Globo faz campanha contra o Vasco e cultiva, de maneira discreta porém objetiva, a idéia de que ninguém é Vasco. A idéia do “ninguém é Vasco” se baseia no fato de não haver comemoração na Zona Sul do Rio de Janeiro quando o clube consegue uma vitória.
    Diferentemente de Fluminense, Botafogo e Flamengo, cujas torcidas sempre fazem muito barulho, a torcida do Vasco praticamente inexiste na camada mais privilegiada da sociedade carioca.
    Por isso torna-se comum nas rodas de discussão se ouvir que “Ninguém é Vasco!”, o que deixa a minoria vascaína inconformada.
    Mesmo assim, o fato é que o Vasco tem sim uma grande torcida e merece ser respeitado. A idéia de que ninguém é Vasco é verdadeira até certo ponto, mas o fato é que o Vasco merece mais respeito por parte da imprensa brasileira.

Deixe uma resposta