SBT chega aos 39 anos: parado no tempo

Por Lucivaldo Souza, especial para o BDI

Uma das empresas mais importantes do Grupo Silvio Santos, o SBT, chega aos 39 anos nesta quarta-feira, 19 de agosto. E chega parado no tempo.

Talvez não seja essa a visão da sua arcaica diretoria, mas a realidade é que o SBT não acompanhou as mudanças da televisão brasileira. Um primeiro olhar para seu jornalismo já demonstra isso. Com apenas dois telejornais diários, “Primeiro Impacto”, com mais de 6 horas de duração (algo inexplicavelmente sem sentido) e o noturno “SBT Brasil” – que já teve status de carro-chefe da programação diária – com Ana Paula Padrão na apresentação. Hoje, com 15 anos de exibição, o SBT Brasil parece ir ao ar apenas para cumprir cota diária de programação jornalística. Um telejornal “escuro”, assim como é seu cenário.

A programação infantil, sem dúvidas outro ponto forte do SBT desde a sua estréia, também está em escanteio. Com a proibição de publicidade infantil – que inviabiliza investimentos no segmento – o “Bom dia & Cia.” e o “Sábado Animado” são mantidos na grade apenas por conta do pequeno público, que se mantém fiel especialmente aqueles que não têm acesso aos inúmeros canais infantis da TV por assinatura.

Os programas de auditório, outra marca do SBT, “diminuíram”, principalmente no tamanhos das plateias, que se fazem presente nas dependências da emissora de Senor Abravanel. Saudade dos auditórios gigantes dos antigos programas, como os comandados pelo saudoso Gugu Liberato.

As novelas são outro grande problema do SBT atual. Na programação vespertina, dramalhões mexicanos já não repercutem e não dão audiência como as grandes tramas que fizeram muito sucesso, como, por exemplo, a trilogia das Marias e “A Usurpadora”. À noite, a emissora exibe duas reprises infantis, que já sofrem pela queda de público, sobretudo pela insistência no formato, que gerou desgaste. É preciso reinventar!

Falta um olhar para o futuro! O SBT e sua grade de programação estão “enferrujados”.  Há quanto tempo não se fala de uma grande contratação feita pelo SBT? A empresa não impacta mais o mercado e não bagunça a concorrência. Qual foi a última grande estreia? São filmes, desenhos, séries e novelas repetidas incansavelmente.

As infinitas alterações na grade mais atrapalham do que ajudam, Aliás, nesse período de isolamento social, não houve freio. O SBT se acomodou, se tornou uma TV preguiçosa e relaxada. Nem de longe lembra a TV que chamou a atenção do país com programas de grande repercussão como “Casa dos Artistas”, “Show do Milhão” e tantos outros.

Se o SBT ainda é o que é hoje, com destaque nacional, se deve aos astros e estrelas, nomes de peso que compõem seu elenco, como Ratinho, Carlos Alberto, Eliana, Celso Portiolli e alguns outros, incluindo o próprio Silvio. Artistas com peso e status que ainda fazem do SBT uma emissora querida por muitos brasileiros. Um deles, dos mais queridos, foi embora após quase quatro décadas: o Chaves.

Agora fica a torcida para que a emissora se reinvente, se reaproxime do seu público, consiga colocar no ar produções com frescor de novidade. E que a comemoração dos 40 anos seja mais feliz e oportuna.

Deixe uma resposta