Rogério Ceni ressalta dificuldade em contratar um centroavante

(Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

O técnico do São Paulo, Rogério Ceni, alega desconhecer o interesse do clube pelos jogadores Van Persie, Adebayor e Alberto Gilardino, que fizeram sucesso em grandes clubes da Europa. De acordo com o ex-goleiro, a atual situação financeira do Tricolor inviabilizaria tais contratações.

“A não ser o Van Persie, que li, os outros eu desconheço. As informações que eu tenho é de que temos problemas financeiros, e jogadores esse porte custam, têm grandes custos. Claro que se a diretoria for trazer jogadores de qualidade, independente da nacionalidade, será bom”, afirmou o treinador.

Van Persie, ex-Manchester United e Arsenal, está com 33 anos e joga atualmente pelo Fenerbahçe, da Turquia, com quem tem contrato até junho de 2018. Já o Adebayor, 32, está sem clube, enquanto Gilardino, 34, ex-Milan e Fiorentina, defende o modesto Pescara, da Itália.

Nos últimos meses, o Tricolor tentou trazer Cristian Colmán, do Nacional (PAR), e Calleri, mas ambas as negociações não vingaram.

“O único nome que trabalhei foi o Colmán, que acabou indo para o Dallas. Esse participei, os outros não. Mas tenho dois nomes, apesar do Chavez gostar de jogar mais pelo lado esquerdo, e o Gilberto. Os dois têm fome de jogo, estão mostrando desejo de jogar. Vamos começar o campeonato dessa maneira e vamos analisando com o tempo”, explicou o técnico são-paulino.

De acordo com ele, a dificuldade em contratar um camisa 9 não se restringe ao clube do Morumbi.

“Está difícil para todos. Times de fora do país perguntam de um 9 para contratar. É difícil você achar jogadores para essa posição. Temos o Chavez mais pelo lado esquerdo, o Gilberto um 9, e o Cícero como um falso 9. Temos de conviver com a realidade”, disse.

Por fim, Ceni descartou a saída de Chavez, que teria recebido propostas da China, e comentou sobre o interesse do francês Lille no futebol de Luiz Araújo.

“Sobre o Chavez, eu nem sabia direito. Ele tem contrato de empréstimo, acredito que ele vai cumprir até o meio do ano, não vejo esse risco de ele sair antes. E com o Araújo, conversei com ele, gosto muito dele, acho que ele tem potencial para valer o dobro no futuro. Mas é uma opinião pessoal minha. Eu gostaria de ter opções para ganhar título, mas o clube tem suas prioridades também. Vamos sentar, conversar. Mas a decisão é sempre do presidente, a minha função é treinar o time”, concluiu.

Deixe uma resposta