Robinho e Diego ignoram pedido de ex-camisa 10 do Santos: “tem que depositar R$ 100 mil na minha conta”

Créditos: Fernando Santos/Folha Imagem
Créditos: Fernando Santos/Folha Imagem

O Santos Campeão Brasileiro de 2004 tinha nomes conhecidos, Robinho, Elano, Léo, Ricardinho e Deivid. O camisa 10 era de Preto Casagrande. O ex-meio campista ganhou a confiança de Vanderlei Luxemburgo e foi bicampeão brasileiro.

No ano passado, para comemorar os 10 anos do título, Preto organizou um grupo no WhatsApp para reunir o elenco da campanha. A ideia não foi para frente, principalmente por causa de Robinho e de Diego.

“O Robinho escreveu: ‘tem que depositar R$ 100 mil na minha conta kkkkkk’. E aí a gente não sabia se ele estava falando sério ou brincando. Depois o Diego postou ‘se neguinho depositar R$ 100 mil, eu vou’ e disse que [jogo comemorativo] era coisa pra ex-jogador, que quem está jogando ainda tem que ganhar dinheiro. Aí eu parei de me estressar com esse negócio”, disse Preto.

“Essa boleirada é uma marra, e eu sou um cara meio estressado. Me estressei com o Robinho e o Diego e falei: ‘vão pra pqp, também não quero ver vocês mais, aguentei um ano vocês e não aguento mais!’ Eles brincam até no WhatsApp, não falam nada sério”, completou.

Como o trabalho com Luxemburgo, que “concentrava mais que extrato de tomate”, segundo o ex-atleta, lembrando os confinamentos antes dos jogos.

“Mas é a metodologia dele. Ele falava: ‘vai acabar o ano, vocês vão ser campeões e não vão lembrar que concentraram’. E foi assim. Eu fiquei tão feliz e satisfeito por ser campeão brasileiro jogando com a 10 do Santos que nem me lembro disso”, conta Preto Casagrande.

Deixe uma resposta