River Plate tricampeão da Libertadores: o renascimento de um gigante

000_mvd6704839
(Foto:Reprodução)

Não há duvidas de que a terceira conquista do River Plate na Copa Libertadores da América vai entrar para a história. Um time quase eliminado na primeira fase, onde acabou se classificando somente na última rodada, indo para os mata-matas como o pior classificado de todos os times, e de forma brilhante, foi passando pelos seus adversários, e chegou ao titulo jogando diante de sua torcida contra o Tigres do México.

A Campanha do tri:

Primeira fase:

A campanha do River teve início diante do San José na Bolívia, o time argentino sofreu com a altitude de Oruro e acabou derrotado pelo placar de 2 a 0. Então, vinha a segunda partida, o encontro com a torcida após a conquista da Copa Sulamericana, o jogo era diante do Tigres do México, e o River então decepcionou sua torcida no empate em 1 a 1, começando a ficar em situação complicada no grupo 6 da competição.

Uma semana depois, o time argentino foi até o Peru para enfrentar o Juan Aurich precisando de um resultado positivo para seguir na briga por uma vaga na próxima fase, e chegou a fazer 1 a 0, mas não suportou a pressão e acabou cedendo o empate na segunda etapa, assim terminava o primeiro turno com o River Plate na lanterna. O drama começava a tomar conta dos comandados de Marcelo Galhardo.

635647456524511859w
(Foto:Reprodução)

Abrindo o segundo turno do grupo, o River recebeu o mesmo Juan Aurich do Peru, em um jogo que a equipe argentina chegou a fazer 1 a 0, porém abusou dos gols perdidos, e foi castigada no fim, sofrendo o empate aos 44 minutos do segundo tempo, tento que praticamente decretou a eliminação do River Plate, que obviamente não veio.

O jogo contra o Tigres no México fora de casa virou uma grande decisão, logo contra a segunda melhor campanha da libertadores até aquele momento. Já classificado, os mexicanos jogaram com uma equipe mista, mesmo assim deu muito trabalho para o time argentino, chegando a fazer 2 a 0, entretanto o River Plate reagiu e no final conseguiu arrancar um empate.

635683792999874096
(Foto:Reprodução)

A última rodada era a grande decisão. O jogo era em casa contra o já eliminado San José da Bolívia. O River precisava vencer por uma vantagem considerada de gols, e torcer contra o Juan Aurich. E deu certo! O galo argentino venceu o seu jogo por 3 a 0, e o Tigres bateu o Juan Aurich por 5 a 4, assim, o time de Buenos Aires conseguiu a vaga ficando em segundo lugar com 7 pontos, e teria pela frente o seu maior rival na fase oitavas de final, o Boca Juniors.

Oitavas de final:

Após avançar para as oitavas de final da competição com apenas uma vitória na primeira fase, o River enfrentou seu maior rival, o Boca Juniors. Sem ser considerado como favorito no duelo contra o Boca devido a fraca campanha na primeira fase e com o rival com 100% de aproveitamento, o River venceu no jogo de ida por 1×0, com gol de Carlos Sánchez, em cobrança de pênalti.

No jogo da volta em La Bombonera, os argentinos precisavam de um empate para seguir na competição. Após o intervalo, torcedores do Boca lançaram gás na direção dos jogadores rivais, e o time da casa acabou sendo eliminado da competição.

sanchez
(Foto:Reprodução)

Quartas de Final:

Depois da classificação sobre o Boca, veio o Cruzeiro. No jogo de ida, disputado no estádio Monumental de Nuñez, a equipe brasileira venceu por 1×0, com gol de Marquinhos aos 36 minutos do segundo tempo. No jogo de volta no Mineirão, o time argentino dominou a partida e goleou o Cruzeiro por 3×0, com gols de Sánchez, Maidana e Téo Gutierrez, e avançou na competição.

Semifinal:

Após a pausa para a Copa América, o Ríver enfrentou o bom time do Guarani do Paraguai, equipe que eliminou Corinthians e Racing-ARG. No jogo de ida, em casa, o Ríver venceu por 2×0, com gols de Mercado e Rodrigo Mora. Já na segunda partida no estádio Defensores del Chaco, os Milionários arrancaram um empate em 1×1 e se classificaram para a grande final após 19 anos.

2015-08-06t021140z_1832935526_gf20000014920_rtrmadp_3_soccer-libertadores
(Foto:Reprodução)

Final:

Na grande final, o River Plate encarou novamente o bom time do Tigres-MEX, que havia eliminado o Internacional nas semifinais. O primeiro confronto foi disputado no México, no estádio Universitário, em Monterrey. Após uma partida equilibrada, o jogo terminou empatado em 0x0, levando a decisão para a Argentina.

O jogo da volta, realizado no Monumental de Nuñez, teve primeiro tempo foi equilibrado, mas os argentinos abriram o placar com gol de Lucas Alário. Já na segunda etapa, o galo, à frente no marcador, foi extremamente superior e marcou mais dois gols com Carlos Sánchez cobrando pênalti e Funes Mori, após cobrança de escanteio.

Com a vitória, o River Plate conquistou o seu terceiro título da copa libertadores e representou  o futebol Sul-Americano no Mundial de Clubes FIFA, onde ficou com o vice campeonato, ao ser derrotado pelo Barcelona. A competição foi realizada no Japão.

Colaboraram: Alex Bispo e Leandro Leite

 Contato: redacao@bastidoresdainformacao.com.br

loni

 

Deixe uma resposta