Rio de Janeiro prevê aplicação do primeiro lote até sábado

A prefeitura do Rio de Janeiro detalhou hoje (18) como será a aplicação das primeiras 110 mil doses de CoronaVac para os grupos prioritários de vacinação contra a covid-19 na cidade.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, estimou que a aplicação das primeiras doses pode ser concluída até o dia 23, se começar amanhã. Soranz afirmou que o Rio de Janeiro tem uma das melhores redes de vacinação do país e já aplicou 230 mil doses em um único dia, em uma campanha conta a febre amarela.

A Secretaria Municipal de Saúde espera receber hoje 110 mil doses, que são apenas uma parcela das 231.840 doses que o município receberá a partir das 6 milhões disponibilizadas pelo Instituto Butantan para todo o país. As demais vacinas continuarão com o governo do estado e ficarão reservadas para a segunda dose do primeiro grupo de pessoas vacinadas.

Nesta semana, receberão a primeira dose da vacina contra covid-19 na cidade do Rio de Janeiro 105.518 mil profissionais de saúde da linha de frente, 4.619 idosos que moram em instituições de longa permanência e 332 adultos com deficiência que vivem nesses locais.

Os profissionais de saúde receberão as doses em seu local de trabalho, enquanto os demais serão imunizados nas próprias instituições de longa permanência. Dessa forma, a prefeitura lembra que ninguém deve procurar os postos de vacinação neste momento para obter imunização,

Amanhã (19), instituições de longa permanência públicas e privadas serão os primeiros locais de aplicação das doses no Rio de Janeiro. Segundo a prefeitura, dez instituições em diferentes partes da cidade aplicarão as vacinas em seus residentes.

No dia 20, feriado de São Sebastião no município do Rio de Janeiro, haverá intensificação da vacinação em mais instituições de longa permanência e residências inclusivas, onde vivem idosos e pessoas com deficiência.

No mesmo dia, o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, unidade de referência para covid-19 no município, deve ser o primeiro a aplicar a vacina em profissionais de saúde. Além do pessoal que atende a casos de internação por covid-19, a prefeitura imunizará com o primeiro lote os profissionais que atuarão nos postos de vacinação e os trabalhadores das instituições de longa permanência para idosos.

Ao todo, o grupo de profissionais de saúde que será vacinado nesta semana corresponde a 34% do total de trabalhadores da categoria. Na segunda fase da vacinação, serão imunizados os demais profissionais de saúde, que somam cerca de 159 mil pessoas.

O secretário Daniel Soranz ressaltou que pessoas com sintomas de covid-19 não devem tomar a vacina, mas quem teve a doença e já se recuperou pode ser imunizado.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, alertou que o início da vacinação é uma vitória da ciência, mas não libera os cidadãos de continuarem a adotar os cuidados contra a doença.

“O início da vacinação não é o fim da pandemia, é literalmente uma luz no fim do túnel. Nós continuaremos com as medidas que vínhamos anunciando desde a semana passada”, disse Paes, que prometeu endurecimento na fiscalização contra aglomerações e descumprimento de regras pelos estabelecimentos da cidade.

A chegada das primeiras 110 mil doses está prevista para esta segunda-feira, e prefeitura e governo do estado programaram para agora à tarde, no Cristo Redentor, a aplicação da primeira dose em um morador do estado. A expectativa era que as doses desembarcassem no Aeroporto Santos Dumont até o início da tarde, onde seriam recebidas pelo governador em exercício, Cláudio Castro, que marcou uma entrevista coletiva para 13h. Não houve a entrevista, e o prefeito Eduardo Paes confirmou que não recebeu as doses até as 14h.

De acordo com Paes, a programação anunciada depende da chegada das doses de vacina para começar amanhã.

Próximas fases

A prefeitura adiantou parte da programação para a próxima fase, que vai abarcar toda a população idosa, em grupos separados por idade, e terá doses aplicadas nos postos de vacinação. Ainda não há previsão para essa etapa de vacinação começar, já que depende da disponibilidade de mais doses.

Na primeira semana da segunda fase, serão vacinadas pessoas com mais de 90 anos, em um dia específico para cada idade: pessoas com 95 anos ou mais na segunda e terça-feira, e pessoas com 90 a 95 de quarta a sexta. No sábado, todos dessa faixa etária poderão ir aos postos para se imunizar.

Na semana seguinte, serão imunizados os que têm entre 85 e 89 anos, com um dia para cada idade: 89 anos, na segunda; 88, na terça; 87 na quarta; 86, na quinta; e 85, na sexta. Mais uma vez, no sábado, todas as pessoas com ao menos 85 anos poderão procurar os postos de saúde. A vacinação continuará com os próximos grupos de idosos nas semanas seguintes, seguindo o mesmo padrão. Somente idosos acamados poderão ser vacinados em casa.

Para evitar filas e facilitar o acesso da população, a prefeitura vai estender o horário de funcionamento de alguns postos de vacinação para atendimento das 8h às 22h. Outras recomendações são preferir o período da tarde, quando as unidades estão mais vazias, e levar um documento com foto, como a carteira de identidade, e o cartão de vacinação, se tiver.

Estão previstos para as próximas etapas de vacinação pontos estratégicos para receber a dose por drive thru, como o Parque Madureira, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro e o Aterro do Flamengo.

Depois dos idosos, serão atendidas as pessoas com comorbidades, que precisarão apresentar laudo médico para receber a vacina. Na quarta fase, receberão a vacina professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Agência Brasil

Deixe uma resposta