Ricardo Oliveira não sabe se jogará no Santos em 2018 e nega aposentadoria

(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O Santos não sabe se contará com Ricardo Oliveira em 2018. Com contrato até dia 31 de dezembro deste ano, o centroavante ainda não acertou a renovação com o Peixe. As conversas entre o jogador e a diretoria do clube já acontecem desde janeiro, porém, nenhum acordo foi firmado.

“Nem sei como está a situação. Minha cabeça está focada no trabalho, em produzir dentro de campo e nada mais que isso. O que acontecer, vocês vão ficar sabendo. Só penso em dar resultado e não ficar muito preocupado. Eu sempre manifestei e demonstrei minha dedicação e gratidão, empenho, entrega, por essa camisa, por esse clube. Quando cheguei, olhei para a situação e não me preocupei com o quanto ia ganhar, aceitei o que me ofereceram e vim trabalhar. Falei que vinha para fazer história. As palavras me respaldam e tenho feito história. Foram três finais de campeonatos, dois títulos, eu artilheiro no primeiro ano, artilheiro do time em 2016. Não é de querer, é se de fato vou continuar sendo produtivo e ajudando com o meu melhor. Naquele momento, em 2015, vim jogar só o Paulista. Meu desejo era até o fim do ano. Muitos clubes me procuraram, poderia ter saído e falado valeu, obrigado, mas comigo não funciona assim. Eu sei ser grato ao que o clube fez por mim. Fiz a renovação e estou cumprindo da melhor maneira possível. Sempre fui muito dedicado. Estou a par da renovação. Quero estar focado apenas em ser produtivo. Se acontecer ou não, vocês vão ficar sabendo”, comentou o centroavante.

Ricardo Oliveira não tem dúvidas de que ainda tem muita ‘lenha para queimar’ e não irá pendurar as chuteiras após o final da temporada.

“Não me passa pela cabeça encerrar a carreira agora. Não agora. Vamos ver depois de acabar o campeonato e aí eu já terei uma resposta. Ainda tenho muitos gols para fazer, muitos quilômetros para correr, muitas alegrias para dar. Isso é muito legal. É importante chegar numa idade e vi jogadores pararem com 33, 34 porque corpo não respondia mais, e eu tô com 37 correndo, fazendo gols, ajudando, treinando todo dia. Fico muito feliz e ainda tenho muitos gols. Tenho objetivo de números para atingir. Cabeça dá o comando, corpo obedece e a gente vai embora”, concluiu.

Deixe uma resposta