Respirador desenvolvido pela USP começa a ser utilizado no tratamento contra o Covid-19

O InCor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP), em São Paulo, iniciou, nesta quinta-feira 16, o uso de equipamento de suporte respiratório emergencial e transitório, que desempenha a função de um respirador mecânico, desenvolvido pela Universidade de São Paulo (USP) em pacientes com a covid-19.

Por meio de estudo clínico aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), o InCor recebeu desses equipamentos para atender 40 pacientes, inicialmente. Trata-se da segunda e última fase de testes, que deverá ser concluída ao longo dos próximos 30 dias.

“Os protótipos iniciais demonstraram bom desempenho, e agora começamos os testes no InCor. O conhecimento do projeto vem sendo estudado há décadas, mas o desenvolvimento no curto prazo de quatro meses foi uma grande conquista” diz o Dr. Carlos Carvalho, diretor da divisão de Pneumologia do InCor. Essa mesma divisão é responsável pela UTI Respiratória do InCor, que vem sendo líder no combate à covid-19.

Batizado de Inspire, o projeto do “respirador mecânico” foi produzido por técnicos, pesquisadores e professores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em parceria com outras instituições da USP, e coordenado pelos professores Raúl Gonzalez Lima e Marcelo Zuffo. Por contar com tecnologia 100% nacional, o equipamento poderá ser produzido em horas e com custo mais baixo. “O preço médio destes aparelhos é de aproximadamente 20 mil dólares. Como todos os insumos que compõem o ventilador são brasileiros, conseguiremos produzir a um preço de custo, de até 10 mil reais”, ressalta Carlos Carvalho.

Nas próximas semanas, a USP cumprirá as exigências finais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e se preparará para produção e distribuição dos aparelhos em escala.

O projeto foi realizado com doações de parceiros da iniciativa privada, o que totalizou mais de R$ 7 milhões em doações, e foi criado com o objetivo de oferecer alternativa para suprir uma possível demanda emergencial do aparelho, causada pela pandemia da covid-19.Os respiradores mecânicos são fundamentais para equipar as Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e salvar vidas.

Deixe uma resposta