Relembre a história do ator Gianfrancesco Guarnieri

Gianfrancesco Sigfrido Benedetto Guarnieri (Milão, 6 de agosto de 1934 — São Paulo, 22 de julho de 2006) foi um importante ator, diretor, dramaturgo e poeta ítalo-brasileiro, foi um artista de destaque no Teatro de Arena de São Paulo e sua mais importante obra foi Eles Não Usam Black-Tie.
Por conta do fascismo que tomava conta da Itália, seus pais, o maestro Edoardo Guarnieri e a harpista Elsa Martinenghi, decidiram vir para o Brasil em 1936 e se estabeleceram no Rio de Janeiro.
No dia 2 de junho de 2006 gravava no Teatro Oficina a telenovela Belíssima, da Rede Globo, em que interpretava o personagem Pepe, e sentiu-se mal, tendo sido internado no Hospital Sírio-Libanês, onde veio a falecer de insuficiência renal crônica, cinquenta dias depois, no dia 22 de julho. Foi enterrado no cemitério Jardim da Serra em cerimônia particular na cidade de Mairiporã, onde morava.

Veja a matéria da Folha sobre a morte do ator, em 2006:

O ator Gianfrancesco Guarnieri morreu neste sábado aos 71 anos em função de complicações geradas por insuficiência renal crônica. Ele estava internado no hospital Sírio-Libanês há mais de 50 dias.

Ele foi internado no último dia 2 de junho por conta de uma crise renal. O artista ficou fraco devido a uma hemodiálise (filtração do sangue por meio de rim artificial).

Seu último papel na TV foi Peppe, na novela “Belíssima”. Devido à internação do ator, o teledramaturgo Silvio de Abreu teve de reescrever cenas da trama, que se encerrou no último dia 7 de julho. O fato já havia acontecido com o ator Serafim González e a atriz Glória Pires, que ficou afastada por 15 dias por conta de uma hepatite.

Durante a novela, Guarnieri já se submetia a sessões de hemodiálise. No roteiro original, o personagem Peppe seria o responsável por revelar na trama quem é o filho da vilã Bia Falcão (Fernanda Montenegro).

Assista um pouco do talento do ator em ação:

@LucasCanosa

Deixe uma resposta