Raul Gil recebe Carioca no Elas Querem Saber deste sábado

Sheila, Ciça, Carioca, Raul, Antonia e Thammy / Rodrigo Belentani
Sheila, Ciça, Carioca, Raul, Antonia e Thammy / Rodrigo Belentani

Raul Gil apresenta nesse sábado, 05, às 14h15, a nova temporada do quadro Elas Querem Saber. Thammy, Ciça, Sheila e Antônia sabatinam nesse programa o radialista Carioca. O comediante diverte Raul e as meninas imitando Lula, Boris Casoy, Silvio Santos, Jô Soares, Edir Macedo e outros. Carioca falou como é o ritmo de gravação do programa, o que pode e qual o limite das brincadeiras. Se derreteu pela esposa e afirmou que a família é o bem mais precioso.

Confira as melhores frases do quadro:

“Falei que estava com uma fisgada no traseiro. O Mendigo (Carlos Silva), meu amigo, estava comigo e falou que era hemorroida e ai ficou”. (sobre se é verdade ele ter hemorroida).

“Assim que parei de fazer o Jô Sores, comecei a fazer o Boris” (Cazoy)

“Eu não gosto de ficar com uma personagem pra vida inteira. Eu não me apego, senão não vem os novos” (sobre ficar pouco tempo com os personagens)

“No início do programa, os convidados não queriam ir até a tevê, ai fomos pra rua” (como começou o formato do programa Pânico).

“Eu quero brincar com quem quer brincar comigo. O resto não me interessa” (sobre as pessoas que aborda nas festas)

“O telespectador que dá o tom do programa” (sobre as brincadeiras que fazem)

“Eu nunca fui convidado para trabalhar da Record” (sobre se já foi convidado a trabalhar na Record)

“Eu gosto de gente. Bater papo, trocar ideia”

“Eu gosto da minha família, ela que defendo e ela que vou preservar”

“Paola sempre foi interessante. Demorou dois anos pra gente começar a namorar. A mulher chegou do nada e fez uma transformação. Ela que segura minha barra” (sobre a esposa Paola)

“Na escola eu era nerd” (sobre a época de escola)

“Injustiça e muito trabalho me deixam triste” (sobre o que o deixa triste)

“Comecei como estagiário na rádio. A imitação de Silvio Luiz foi a credencial para eu vir para o Pânico em SP”

“O Galvão Bueno é muito difícil de imitar” (sobre alguma imitação difícil de fazer)

“O brasileiro tem mania de ver a vida só da porta pra dentro e se esquece da porta pra fora. O Brasil precisa de uma melhor na educação” (sobre o Brasil atual).

Deixe uma resposta