Rafinha diz que aceitaria proposta do Flamengo

Foto: Divulgação

O lateral Rafinha concedeu entrevista ao Seleção SporTV nesta segunda-feira para explicar seu lado na negociação frustrada com o Flamengo. O clube desistiu da contratação do jogador na última sexta, alegando respeito ao orçamento. Para o jogador, porém, a decisão se deu por conta de uma guerra política.

– O treinador me queria, o departamento de futebol todo me queria. Os torcedores me queriam. A parte financeira já deixei claro que não era o problema. Vou repetir: flexibilizei o máximo que poderia para receber meu salário em 2022. Claro que eu fui vítima de uma guerra política. Não tenho culpa disso. Podem estar zangados com o Olympiacos, respeito. Tenho muito carinho. Não foi isso que alegaram. Falaram que era parte financeira. Eles têm essa guerra, eu não sabia também. Eu paguei o pato, fiquei 35 dias esperando tomarem decisão e não deu certo. Pula para o outro lado e tinha as pessoas que eu soube que não queriam minha contratação – explicou o lateral-direito.

– É uma coisa que não é normal. Eu sei da situação, sei o que o clube está passando, por isso fiz isso (abriu negociação). Queria voltar para o Flamengo, jogar, deixei a flexibilização para fazerem a proposta para mim que coubesse no orçamento do clube. Foi o que fiz, e eu queria explicar que, da minha parte, eu fiz o que poderia fazer – acrescentou.

Rafinha garantiu que o fato de não ter fechado com o Flamengo nada tem a ver com dinheiro.

– Não seria, de jeito nenhum, o valor que ganhei na primeira passagem. Não tem comparação, afinal abri mão disso também, porque sei da situação, sei como é. O valor seria muito menor do que ganhei na primeira passagem. Todo mundo falando de dinheiro e luvas, o torcedor não sabe a realidade. Eu iria receber bem menos. Eu nem sabia quanto ia receber, porque estava esperando o Flamengo fazer uma proposta. O Flamengo sabe meu valor, o jogador que sou, o que represento. Esperei o Flamengo fazer proposta e claramente eu ia aceitar – disse.

“Independentemente do valor, eu ia aceitar. Eu quero jogar”, completou.
Rafinha aproveitou a oportunidade para explicar os motivos que o fizeram sair do Flamengo no ano passado.

– Eu recebi proposta para ganhar três vezes mais do que ganhava no Flamengo. Tem que ser realista. Era uma oportunidade única, com 34 anos, tenho mais quatro anos de carreira. Pensei na minha família. Qualquer jogador na minha posição iria fazer isso também. Sabia do meu prestígio, mas foi uma situação que não podia deixar passar. Eu tinha cláusula no contrato, porque, depois de 15 anos na Alemanha, quem sabia que ia dar tão certo no Flamengo? Caso não desse certo, eu poderia regressar à Europa. Nessa primeira passagem no Flamengo, o departamento de futebol sabe que, se eu tivesse olhado para esse lado, eu não tinha vindo para o Flamengo. Eu abri mão de muita coisa quando vim. Ninguém me questionou em 2019 – explicou ele, que prosseguiu:

“O valor financeiro nunca foi o principal fator, e o departamento de futebol do Flamengo sabe muito bem disso. Faz 30 dias que só estou tomando pancada. E isso não é verdade. Não combina comigo”.

Deixe uma resposta