Racistas não passarão

Os anos estão passando, as minorias estão conquistando alguns progressos, mas, infelizmente, há acontecimentos recentes que não acredito ser algo verídico. O racismo ainda é um assunto a ser discutido em pleno 2017! Muita gente no mundo todo é prejudicado pela cor de sua pele, e isso é algo totalmente triste e, por muitas vezes, desmotivador. 

Além de milhares de negros que sofrem com o preconceito, a classe artística também é bastante perseguida. Raramente vemos um negro protagonizar uma novela ou ter algum papel importante. O jornalismo é dominado por brancos e os poucos negros que completam as equipes sofrem com o preconceito diariamente, como foi o caso de Maju, no Jornal Nacional. O que chamou atenção, recentemente, foi a expressão usada por um jornalista da Record TV DF, ao se referir à cantora Ludmilla. 

Marcão estava no comando do “Balanço Geral DF”, no quadro de fofocas, “A Hora da Venenosa”, onde se discutia sobre a cantora carioca. A notícia dizia que Ludmilla não atendia seus fãs em um restaurante e, para comentar, o jornalista se referiu à cantora como “macaca”. Marcão, após a repercussão, diz ter usado apenas uma “expressão regional”. 

“Expressão regional” foi a desculpa dada em perfil oficial do “Balanço Geral”, no Twitter

Expressão Regional é o novo racismo?

Quer dizer então que uma pessoa ser chamada de “macaca” deve ser considerado algo normal? É inacreditável quando alguém diz que não há preconceitos e que isso não passa de vitimismo. Uma expressão dessa não deveria ser usada em local nenhum, muito menos em uma TV! A atitude do jornalista foi algo de total desprezo. 

Em uma rápida passagem no Twitter, vejo uma mensagem de uma usuária dizendo: “Como a Record, uma emissora evangélica, contrata uma pessoa racista?”, pois é, como? Mas como também o seu dono, um pastor, não recomenda que pessoas de raças diferentes se casem, em um artigo publicado no site de sua Igreja, em 2010?

Atitude da Record TV

Apesar de ter feito um post ridículo no Twitter oficial do programa, afirmando que Marcão não queria ofender Ludimilla e afirmando que o jornalista usou de uma expressão regional, o canal demitiu o jornalista, que continua afirmando que essa não foi sua intensão. Após isso, a Record TV lamentou o ocorrido.

Racistas não passarão!

O que aconteceu com Ludmilla acontece com milhões de pessoas, diariamente, em todo mundo. Por isso, esse tipo de preconceito não deve ser escondido. Diga não ao racismo! O preconceito, muitas vezes, é tapado por brincadeiras, expressões consideradas normais, mas isso não deve acontecer. Chegou a hora de dar um basta nas mentes atrasadas. Marcão, reflita! Se realmente está arrependido, peça desculpas de verdade! 

Denuncie qualquer tipo de preconceito! 

 “Controle na Mão”, toda segunda-feira, às 20h, no BDI.

Mande seu e-mail para o colunista: charlesdouglas@bastidoresdainformacao.com.br

Veja mais publicações do Charles. Acesse o seu blog: www.dropsdocharles.com.br

Deixe uma resposta