Quando o lado bom se mistura com a teimosia em um técnico de futebol

João Saldanha / Foto: Reprodução
João Saldanha / Foto: Reprodução

Muitos vão pensar que estou falando de Felipão e até poderia ser, mas o que vou contar é sobre João Saldanha.

Ele foi chamado pra colocar ordem numa seleção onde Zagallo não estava dando certo.

Zagalo era inexperiente e sem comando e foi trocado por Saldanha pra que o Brasil disputasse as eliminatórias pra copa de 70.

Então Saldanha montou um time bem bom que goleou todas as seleções que enfrentou nas eliminatórias.

Passou-se um tempo e João Saldanha passa a ser um grande nome de técnico de futebol.

Antes Saldanha era um jornalista que criticava futebol e a seleção que era comandada por Zagalo.

Mas nas vésperas de embarcar pra Copa de 1970, Saldanha passou a ficar mais que convencido.

Tão convencido que achou que tudo podia e que até enfrentar a ditadura Médici podia.

Saldanha tinha sido no passado militante do Partido Comunista.

Mas não era guerrilheiro.

Era apenas um intelectual e filósofo igual grande parte dos que defendem o comunismo sem o conhecer de verdade.

Mesmo sabendo de todo seu passado, a antiga CBD, de ligação estreita com o Regime Militar, convidou Saldanha pra ser técnico.

E Médici, ao contrário que muitos pensavam, tinha abonado o convite feito ao Saldanha.

Os dois eram gaúchos e gremistas e Médici sabia que Saldanha era um filósofo e não um ativista do comunismo.

E Médici lia as críticas de Saldanha nos jornais e concordava com elas.

Então aconteceu que antes de registrar os jogadores na FIFA, Médici foi entrevistado propositalmente pra que pudesse dar um recado público ao Saldanha.

Numa entrevista pública Médici se declarou gremista e que tinha o sonho de ver seu maior ídolo que era o jogador Dada ser convocado.

Isto fez com que um jornalista, numa entrevista pra televisão com Saldanha, entrevista esta postada no Facebook pelo jornalista Fabio Lau, fizesse a pergunta a Saldanha se ele iria realizar o sonho de Médici.

Então no vídeo postado a gente vê a resposta histórica de Saldanha dizendo que no ministério manda Médici, mas na Seleção manda ele.

Depois nos bastidores Saldanha até comentou que se Médici tivesse falado com ele pessoalmente sem mídia, ele até poderia ter aceito.

Mas se tivesse convocado Dada com recado de Médici na frente de todo mundo, ele perderia comando.

Saldanha tinha uma certa razão.

Mas no estágio em que estava de glória teria sido mais certo ter malícia e inteligência de composição e na entrevista poderia ter dito que ele já tinha pensado nisto e que apenas estava esperando a garantia de que Dada estava em boas condições físicas pra convocar, mas que naquele momento, em primeira mão, ele estava revelando o que seria uma surpresa ao presidente Médici que era a futura convocação de Dada, esperando apenas concluírem pequenos detalhes antes.

Muitos acharam que Médici mandaria de imediato o chefe da CBD tirar Saldanha do cargo pelo que falou.

Mas a inteligência de Médici foi maior.

Ninguém chega à presidência sendo burro ou inexperiente.

E além disso tudo Médici tinha sido do SNI, que era o maior centro de informações que o Brasil já teve.

Médici sabia que quem enfrentou de público o general presidente, faria uma bobagem logo depois.

E o logo depois veio antes da Copa quando Saldanha disse que Pelé não tinha lugar garantido no time dele.

Isto beirou loucura tanto pra CBD quanto pra todo povo.

Estava feito o cenário perfeito pra saída de Saldanha.

E trouxeram de volta o submisso Zagallo.

O primeiro ato de Zagallo foi a convocação de Dada dizendo quer era fazer justiça a um grande jogador de futebol.

Mas Dada só jogou poucos minutos num dos jogos que já estava ganho pelo Brasil.

Em Brasília Médici estava contente por ter escalado seu preferido de seu time.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta