Procurador Geral prevarica

congresso

É um ato de prevaricação o Procurador Geral da República escolher acusações e ações quando existem inúmeras do mesmo teor.

Existem 100 contas que a Suiça mandou ao Brasil consideradas de indícios de lavagem de dinheiro.

Quatro destas são referentes a Eduardo Cunha.

Mas existem outras 96 referentes a 62 políticos.

Todos devem ser investigados e denunciados ao mesmo tempo.

O ato ilícito denunciado é igual a todos e causa estranheza que um Procurador Geral da República aja contra um deputado que é contra o PT e faz de conta que os outros nem existem.

Isto é bolivarianismo venezuelano.

Já que ninguém serve no Congresso, não tem porque manter o Congresso aberto.

Parece que é isto que Dilma deseja.

Pra Dilma o fechamento do Congresso é excelente.

Mas falta uma liderança pra colocar ordem na bagunça.

Mesmo que seja uma liderança militar que faça uma limpeza.

Deixe uma resposta