Ponte Preta vence o Bragantino e está de volta a série A do Brasileirão

comemoracao_pontepreta_rib-52
(Foto: Marcos Ribolli)

A contagem regressiva para o acesso da Ponte Preta terminou na tarde deste sábado. Tudo bem que a vaga era apenas questão de tempo, mas a confirmação tem um sabor especial. Ainda mais quando acontece do jeito que a torcida da Macaca se acostumou a comemorar: sofrido, na raça. O Bragantino vendeu caro o jogo. Foi preciso Roni deixar o banco de reservas no segundo tempo para os campineiros arrancarem a vitória por 2 a 0 no Nabi Abi Chedid e fazerem a festa com os quase 4 mil pontepretanos que foram a Bragança Paulista e avisaram: “A macacada voltou”. Agora com o aval matemático. Agora sem precisar segurar o grito, a euforia. Agora de fato e de direito. E sempre acompanhada de seus fanáticos e fiéis súditos.

O camisa 22 entrou no lugar de Rafael Costa e foi o principal responsável pelos dois gols da Ponte. No primeiro, sofreu o pênalti que Alexandro converteu com categoria. Depois, acertou um lindo chute de fora da área para carimbar de vez a passagem da Ponte para a elite nacional, um ano depois de cair. Ter em um reserva o nome da partida reflete a principal qualidade da campanha da Ponte: possuir um elenco equilibrado, com peças de reposição à altura. Foi com a força do grupo que a Macaca garantiu o acesso com quatro rodadas de antecedência, uma sequência invicta de 13 jogos e agora parte em busca do primeiro título de expressão da história de 114 anos do clube.

Com 67 pontos, a Ponte não pode mais ser alcançada por mais ninguém fora do G-4. De quebra, retomou a liderança e segue firme na disputa com o Joinville pela taça. O próximo duelo tem ares de final antecipada. Ponte e Joinville se encontram em Santa Catarina no próximo sábado. Os catarinenses aparecem com 66 pontos. Na parte de baixo da tabela, segue o drama do Bragantino, que tem 39 pontos, à beira da zona de rebaixamento. O time volta a campo no próximo sábado, quando terá pela frente o Santa Cruz, novamente em casa.

Deixe uma resposta