Pivô do rebaixamento da Portuguesa, Héverton se aposenta do Futebol

heverton_1
(Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)

O meia Héverton de apenas 28 anos anunciou hoje que irá se aposentar do futebol profissional, ele foi o pivô do rebaixamento da Portuguesa para a Serie B, por ter jogado de forma irregular contra o Grêmio pela última rodada do Brasileirão 2013. Ele estava atuando pelo Paysandu onde assinou contrato no início do ano, o presidente do clube falou sobre o jogador:

– Hoje (segunda-feira), quando cheguei na Curuzu, o Héverton me procurou dizendo que havia decidido parar de jogar futebol. Tentei convencê-lo a mudar de ideia, mas ele disse que era irreversível. Lamento muito, é um jogador que poderia nos ajudar muito nas competições. É um atleta acima da média, além de uma grande pessoa. Lamentamos tanto pelo lado do Paysandu quanto por ele, que tem apenas 28 anos. Ele me disse que não tem mais prazer em jogar futebol, em treinar. E por ter jogado no exterior, disse que tem condições financeiras que o permitem fazer isso agora.

Segundo Vandick(presidente do Paysandu), a decisão de se aposentar aos 28 anos não tem em nada a ver com algum problema com o clube paraense, mas sim com o drama que viveu na Portuguesa.

Relembre o caso:

O meia foi o pivô do imbróglio envolvendo Portuguesa e o STJD. Pela 36ª rodada do Brasileiro, Héverton foi expulso por reclamação na derrota por 1 a 0 para o Bahia. Ele cumpriu suspensão automática diante da Ponte Preta, mas foi suspenso por duas partidas e acabou sendo relacionado para o confronto contra o Grêmio, no qual entrou em campo aos 32 minutos do segundo tempo.

O time paulista foi enquadrado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de “incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente”. Como punição, a Portuguesa perdeu três pontos, além do ponto conquistado no empate diante do clube gaúcho, levando ao rebaixamento e evitando a queda do Fluminense.

Deixe uma resposta