PCC cuida bem das prisões que domina

Sigla do PCC, facção criminosa que teve origem em São Paulo, escrita após rebelião em prisão do Piauí
Sigla do PCC, facção criminosa que teve origem em São Paulo, escrita após rebelião em prisão do Piauí

A monumental greve de agentes penitenciários no Estado, estimada em 20 mil pessoas, faz-me perguntar a quem serve.

Teoricamente, com esta greve os presos deixam de ter visitas e de ter contato com seus advogados.

Mas também deixam de ter fiscalização e agora “podem até ter acesso a celulares”.

Sim, é uma frase irônica, pois este acesso não deixa de acontecer mesmo com agentes penitenciários que deveriam evitar.

Mas a gente sabe que na realidade não existe agente penitenciário com coragem de evitar muita coisa que existe dentro das prisões e ninguém pode culpar por isto porque lá dentro a situação é totalmente diferentes de tudo que se imagina fora.

Quanto à falta de agentes penitenciários a gente sabe que o PCC sabe cuidar muito bem das prisões que domina.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta