Paulistão 2016: Água Santa envia garantias para liberar estádio

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Após ter sido excluído do sorteio do Paulistão 2016, o Água Santa afirma ter conseguido enviar todos os documentos exigidos pela Federação Paulista para disputar a competição. O presidente do clube, Paulo Sirqueira, mostrou otimismo em relação ao desfecho da polêmica.

– O Água Santa está dentro do regulamento como os outros clubes. Encaminhamos o protocolo com laudos de dois engenheiros que comprovam a capacidade do estádio. Também temos um laudo dos bombeiros que atesta isso, declarou o presidente.

Na reunião que definiu detalhes sobre o Paulistão, o time de Diadema foi notificado que não poderia participar da competição porque o Estádio José Batista Pereira Fernandes, o Distrital do Inamar, não tinha a capacidade mínima de 10 mil pessoas.

O Água Santa iniciou a reforma do estádio nesse ano. O clube alega que as obras estão dentro do cronograma, mas uma visita do coronel Marcos Marinho, chefe de segurança dos estádios, na última quarta-feira, gerou o veto no Congresso Técnico.

– Está dentro do cronograma. Eu falei na reunião: não sou engenheiro, então não adianta eu falar que a obra está atrasada. Precisa de um técnico. Todos diziam que o estádio do Corinthians não ficaria pronto para a Copa, e ficou – completou Paulo Sirqueira, revelando ter sido surpreendido nesta quinta.

– Não houve nenhuma notificação informando que estávamos fora. Pelo contrário. Minha cadeira estava lá, com o escudo do Água Santa, assinei a lista de presença e participei da reunião. Só fiquei sabendo do veto no momento do sorteio, destacou o presidente.

Com o envio da documentação exigida pela FPF, a equipe de Diadema mostra otimismo para jogar a primeira divisão do ano que vem. Em caso de novo veto, o Água Santa será substituído pelo Mirassol, quinto colocado na Série A2 do Campeonato Paulista de 2015.

Deixe uma resposta