Os manifestos são do povo, sim

(Foto: Paulo Lopes/Futura Press/Estadão Conteúdo)
(Foto: Paulo Lopes/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Claro que em toda manifestação existem aqueles que destoam, pedindo algo que não vai de acordo com a presença dos demais. Disse aqui que não sou a favor do impeachment de Dilma, primeiro, porque só trocar não resolve nada. Ela é incompetente, sim. Mas, eleger outro de sua corja não adianta. Não pensem que Aécio é salvador da pátria, também. Não pensem que ele vai transformar o Brasil na Suécia. É preciso muito mais que isso. Faz-se necessária uma reforma política urgente e uma auditoria extremamente rígida e imparcial em todos os órgãos com participação do governo. O PT fez um mandato lamentável e se reelegeu com a força do nome de Lula, somente. Creio que a situação ficaria muito pior com o PMDB à frente do Brasil.

Entretanto, quem está falando que o protesto foi pra pedir ditadura, pra pedir impeachment, somente, está enganado. Pior ainda quem diz que é um ato de “playboy”, que só os riquinhos estão presentes e tudo mais… Não sejam cegos! Foi uma manifestação pacífica, com as bandeiras do Brasil e de todas as classes, cores e credos possíveis. E, mesmo que não fosse, todo mundo tem direito ao voto igualmente. Não se pagou 30 reais como aquela passeata vermelha de sexta-feira. Não faço parte unicamente porque realmente uma das pautas é a cassação da presidente, embora certamente o principal é a luta contra a roubalheira desvairada. De outro lado, não se pode negar que existe um povo um pouco mais politizado, mais cansado e mais atento ao que acontece, senhores. Não se enganem! O maior erro de Dilma é não assumir os seus próprios. Não está tudo bem. Quando 1 milhão vai às ruas em São Paulo, e outros tantos milhões vão aos centros espalhados por todos os cantos do território nacional, é porque, de fato, nada está bom.

@LucasCanosa

Deixe uma resposta