Os lendários Suir Lang, Pontianak e Kuntilanak

Depois da história real do Albergue

arquivo do horror

Embora estejamos mais familiarizados com os mitos e as lendas ocidentais, o Oriente também está repleto de histórias muito curiosas, e horripilantes. 

Hoje apresentarei três figuras do folclore malaio-indonésio: o Pontianak (também conhecido como Matianak), o Suir Lang e o Kuntilanak. 

suir 1

Segundo a lenda, o Pontianak (corruptela da palavra boentianak, do holandês indonésio) é uma espécie de “espírito vampiro”, representado por uma mulher pálida de cabelos longos e que traja um vestido branco.  Essa criatura ataca homens que perambulam sozinhos à noite, cravando suas garras no estômago da vítima e alimentando-se de suas vísceras, transformando-se, assim, em uma bela jovem. Entretanto, se o ataque for motivado por vingança o Pontianak se contenta em “apenas” arrancar a genitália do infeliz. Diz-se, ainda, que se a pessoa estiver de olhos abertos quando um Pontianak se aproximar ele os sugará para fora das órbitas. 

Pontianak

Pontianak

Quem origina o Pontianak, segundo o folclore, são espíritos de mulheres que morreram enquanto estavam grávidas, na maioria devido a uma morte violenta e, devido a isso, a criatura anuncia sua presença no meio da mata através do choro de um bebê. Com a ajuda de um cachorro é possível identificar a presença da entidade, que uivará se ela estiver distante ou ficará ganindo caso esteja pelas proximidades.  

A criatura rastreia sua vítima através do cheiro da roupa, e devido a isso os malaios não possuem o hábito de deixar roupas secando no varal durante a noite.  

A única forma de se combater a criatura é cravando-lhe um prego em sua nunca, quando ela se transformará em uma bela mulher e se tornará uma devotada esposa, até que o objeto seja removido.  

Já o Kuntilanak indonésio é semelhante ao Pontianak, porém também pode tomar a forma de um pássaro para sugar o sangue das virgens e jovens mulheres. A criatura pode ser enviada através de magia negra com o intuito de levar enfermidade a um desafeto, geralmente do sexo feminino, e um sintoma característico de atividade da criatura é um misterioso sangramento vaginal. Quando está sob a forma feminina ela pode atacar também os homens, mas nesse caso costuma-se chamar a criatura de Suir Lang. 

Kuntilanak

Kuntilanak

A forma de se defender de um Kuntilanak é semelhante a do Pontianak, transformando a criatura, também, em uma bela e obediente esposa, mas no caso deste o prego deve-lhe ser cravado no topo da cabeça.   

O Suir Lang está relacionado ao Kuntilanak, sendo geralmente confundidos, mas são muito diferentes e o Suir Lang considerado mais perigoso. Seu nome, segundo a tradição, é escrito com essas duas palavras, mas ultimamente tornou-se costume referir-se a ele como Slangsuir ou Langsuyar.  

Segundo a tradição os Suir Lang são espíritos de mulheres que faleceram durante o parto, devido a algum tipo de complicação, resultando na morte da mãe e do bebê. A transformação ocorreria então quarenta dias após o lastimável evento, a menos que contas feitas de vidro sejam colocadas dentro da boca dos cadáveres da mãe e do natimorto.  

O Suir Lang, ao contrário do Pontianak e do Kuntilanak, não assume a forma de uma bela mulher para atacar, apresentando-se com terríveis olhos vermelhos e longas garras, semelhantes às de uma ave de rapina. Outra diferença dele para os outros é a de não atacar homens, mas sim mulheres grávidas, com o intuito de causar a morte do feto.  

Sob a forma de uma coruja a criatura pode voar, mas ela só pode ser encontrada nas proximidades de rios ou do mar e, na ausência de mulheres grávidas, ela se alimenta de peixes. 

Para destruir o Suir Lang é necessário lhe cortar as garras, quando ela também assumirá, definitivamente, a forma de uma mulher. 

Suir Lang

Suir Lang

Não sei quanto a você, mas eu acho essas lendas bastante curiosas, e por vezes até um pouco engraçadas, em todo caso tentarei me lembrar delas caso um dia eu vá até a Malásia e a Indonésia.  

Nunca se sabe. 

Na próxima semana…

roanoke

Muitos mistérios permanecem obscuros por séculos sem que seja possível explicar sua origem, originando lendas que infestam o imaginário popular. 

O misterioso caso da Colônia de Roanoke é um deles. Vamos conhecer?

Novidade:

Apresento a vocês a terceira chamada da nossa WebTV. O vídeo, neste caso, é focado em terror. Vamos mostrar o que é fato e o que é mito, especialmente em locais macabros da cidade de São Paulo.

 

 

Arquivo do Horror, toda quarta-feira, às 20h, no BDI.

@oscarmendesf / Site oficial do autor

Mande e-mail para o colunista: oscarmendes@bastidoresdainformacao.com.br