Quem manda em Record e SBT?

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por conta puramente da falta de criatividade dos diretores de emissoras e da falta de entendimento do que seja uma grade de programação de emissora, o ramo de tv passou a ser o pior ramo pra mercado de trabalho.

Alguns diretores vão contestar, principalmente no caso de TV Record e SBT, dizendo que por eles a grade seria diferente e o aproveitamento de artistas no mercado de trabalho também.

Mas se eles estão ocupando os cargos, mesmo que alguém superior determine isto, caberia a eles em tese uma criação diferente.

No SBT o Silvio manda em tudo e ainda quando perguntam isto pra ele ouve-se uma negativa.

Silvio tem a ousadia de falar que quem manda são seus executivos que são pagos pra isto.

A realidade é bem diferente e ninguém ousa colocar nada no ar que não seja aprovado por ele.

Quem um dia fez isto viu a reação irada do chefe.

Onde eu quero chegar é que no caso da TV Globo e da TV Record, as enormes demissões geradas agora entre artistas é fruto de falta de criação de diretores.

No caso da TV Record, o custo de artistas sem estarem trabalhando só existe por falta de planejamento.

A TV Record poderia ter ao menos 3 novelas e algumas séries.

Além de ter bons atores pra isto, acostumaria o público com novelas que não fossem as da TV Globo.

Entendam que se a TV Globo tem seu maior ibope nas novelas, a TV Record deveria enfrentar a TV Globo exatamente no que a TV Globo tem de mais caro.

Isto se chama guerrilha televisiva de verdade.

Se a TV Record que tinha excelentes atores, deveria ter quem realmente criasse uma grade de novelas e séries que mostrasse que a TV Record era a alternativa pra quem não desejasse ver as novelas da TV Globo.

Fizeram isto no jornalismo e deu certo.

Mas no jornalismo existe uma independência de um jornalista, Douglas Tavolaro, que embora não tivesse experiência de TV, era do ramo de jornalismo e portanto tentou e foi feliz numa criação de programação jornalística.

Mas na parte artística não existe ninguém que saiba planejar e colocar em prática tal coisa.

Quando eu escrevo que não existe ninguém eu me refiro aos diretores que mandam e não os que obedecem.

Não existe diretor que mande na programação que não seja da Igreja e sem experiência.

O ramo da TV empolga e faz com que os diretores se sintam os donos da verdade absoluta.

Quando alguém que jamais teve experiência nisto é guindado a tal posição, é o mesmo que pegar um jovem de ensino fundamental e colocar este jovem comandando a seleção de futebol.

Imaginem um jovem de 12 anos dirigindo a seleção e seus craques.

Ele vai se sentir o rei do Brasil e vai achar que sabe tudo de futebol.

Então os diretores da TV Record que são da Igreja são responsáveis por ter um excelente grupo de atores e não ter produção realizada com eles.

Isto reduziu o mercado de trabalho num tempo jamais visto antes.

Então sem a ameaça das produções da TV Record a TV Globo entendeu que não precisa mais manter artistas sob contrato e demite também um monte deles.

Se a TV Record tivesse gente no comando artístico que tivesse a mínima ideia de tv, os atores não ficariam sem trabalho e a programação seria competitiva.

Eu mencionei no começo o SBT porque o SBT, que teve grande sucesso com adaptações de novelas estrangeiras poderia perfeitamente recriar novelas estrangeiras com artistas nacionais e colocar estas novelas no período da tarde ao invés de repetir as antigas.

Bastaria seguir o modelo das estrangeiras de apenas três cenários de estúdio.

Os roteiros estrangeiros são emocionantes e Iris Abravanel já tem larga experiência disto e poderia realizar com sucesso.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta