Os erros de Temer e o absurdo de Maranhão

James akel comenta nova 3

TEMER COMEÇA FAZENDO MUITA BOBAGEM

A se conceitualizar o futuro governo Temer pelo que pratica agora, será muito ruim.

Primeiro Temer pediu opinião das Formas Armadas sobre o futuro ministro da Defesa que seria Raul Jungmann.

Os militares aprovaram e Temer retirou o nome para colocar o nome de seu amigo Maris de Oliveira.

Os militares se sentiram desprestigiados.
Afinal se não era pra aceitar a indicação não deveria ter perguntado.

Aliás nem Maris aceitou a indicação feita.

Depois pra bajular um partido quer nomear o presidente do partido pra ministro da Ciência e Tecnologia.
E a gente sabe que o indicado tem pouquíssima noção disto.

Deveria reduzir de verdade o número de ministérios e agora vem dizer que não pretende fazer.

E assim vai indo sem ter indicado um único nome inquestionável.

Alguém vai dizer que Meirelles na Fazenda é inquestionável.

Uai, Meirelles é nome de Lula e estará lá exatamente pra evitar algumas revelações sobre o Banco do Brasil e Previ.
Além do mais Meirelles era presidente de Conselho da JBS, que recebeu fortunas do BNDES.

Meirelles poderia no máximo ser presidente do Banco Central, onde não teria ingerência sobre áreas que deram benefícios ao seu grupo JBS.
Se este é o custo pra se tirar o PT do poder então ta bom.

E que se pense em alguém que tenha capacidade pra substituir Temer.

 

PORQUE A TURMA DA LAVA JATO DEU ENTREVISTA

O motivo dos procuradores terem dado entrevista ontem ao povo foi simples.
Eles desenharam um quadro de um grupo de acusados que estava sendo indiciado e processado.
Todos, sem por nem tirar estavam ali a mando de Lula.
Foi uma maneira de mostrar que esperam apenas que o STF libere Lula pra poderem fazer o que querem.
A não ser que o STF decida proteger Lula até o fim.
Precisa saber o que será o fim.

AS BOBAGENS DE MARANHÃO

(Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

(Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

Um sujeito de nome Waldir Maranhão, de grande analfabetismo político, cometeu ato de ignorância congressual, pois quando o processo foi completado na Câmara, o Senado assumiu e nada mais poderia ser decretado na Câmara.

Apenas que não conhece leis e nem Congresso é que pode fazer um ato insensato de cretinismo político e agressão à sociedade brasileira.

Tem outros nomes que poderíamos dar ao tal de Waldir Maranhão. Imaginem todos os nomes que estou pensando sobre o cara.

James Akel Comenta, toda terça-feira, às 20h, no BDI.

Contato: jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br