Os Autobots estão de volta…Menos empolgante do que nunca

Fala Galerinha, como vocês estão ? Bem, iremos falar hoje sobre um filme “explosivo” Transformers 4 – A Era da Extinção.

Cinerama1

Como ja é de se esperar, Michael Bay retorna para dirigir mais um filme da franquia Transformers, que desde o primeiro filme sempre foi alvo de criticas e prêmios de “piores” do ano, o quarto volume tem tudo pra não sair dessa lista, quem sabe até, subir algumas posições na categoria “ruim”. A Franquia que ja vem apresentando sinais de desgaste desde o terceiro filme, tenta implacar uma nova trilogia com um novo elenco, porém, a história parece não ter nenhuma modificação, a sensação que fica é: “Já vi isso” nos (pasmes) 165 minutos de filme. Desta vez o nosso protagonista é Mark Wahlberg, que não nos mostra nenhuma faceta interessante, porém, cumpre o seu papel, a mocinha da vez é a atriz Nicola Peltz, que teve uma dublagem péssima por sinal, a loirinha aqui parece mais timida em sua atuação do que em Bates Motel e só serve para despencar de prédios. Os dois passam uma boa parte do filme discutindo as bases familiares ( Pai e Filha ) E em meio a ciúmes de namorado ( Ele descobre que a filha tem um namorado no meio de uma confusão…) , shorts curtos, e faculdades, Mark consegue carregar o papel de um pai que tenta fazer de tudo pelo futuro da filha, mesmo com suas invenções malucas.

Mark-Wahlberg-Featured-in-New-Transformers-Age-of-Extinction-TV-Spot

As cenas de ação, por sua vez, ficam devendo e muito, o diretor mais uma vez tenta impressionar pelo excesso de explosões ( Que desta vez acontece na China ) e destruição em massa ( Eu não queria ver esse cara na direção de um filme sobre o fim do mundo, porque olha…) outra coisa que me desagradou e muito, foi o fato de ter cenas e mais cenas dos protagonistas em meio ou a frente de explosões, eu só conseguia lembrar dos Power Rangers nesses momentos, a história, além de confusa e cheia de furos, é cheia de personagens também, sai do cinema e só conseguia me lembrar o nome da mocinha, que de tanto ficar em apuros era o nome “mais gritado” no filme. O 3D é totalmente dispensável, se for pra ver “faíscas” em 3D dê preferência para gastar sua grana com outra coisa.

Ta ai um resumão das cenas de ação do filme
Ta ai um resumão das cenas de ação do filme

Porém nem tudo se perde nessa imensidão, os efeitos especiais estão bem legais, e quase não se percebe o uso de Chorma Key, porém a trilha sonora peca, e muito, no fato de tentar parecer épica o tempo todo, apesar de falho, preciso reconhecer que é uma trilha muito bem trabalhada e composta, e acaba casando 90% com as cenas. Agora vamos esperar por outros filmes da franquia, porque se depender da bilheteria ( O Filme já está com 597 Milhões acumulados no cinema mundial ) iremos ter mais seqüências dos Autobots.

Conseguiu essas 2 estrelinhas por conta dos efeitos especiais e trilha sonora, e a atuação de alguns.
Conseguiu essas 2 estrelinhas por conta dos efeitos especiais e trilha sonora, e a atuação de alguns.

“Cinerama”, toda Quinta, ás 20:00 – No BDI

Mande seu e-mail para Guilherme Alves : guilhermealves@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta