Organização Internacional do Trabalho afirma que 12,5 milhões de crianças trabalham na América Latina

Número de crianças que trabalham na América Latina cai, mas ainda preocupa (Foto: ilustração)
Número de crianças que trabalham na América Latina cai, mas ainda preocupa (Foto: ilustração)

A diretora regional da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Elizabeth Tinoco, afirmou nesta quarta-feira (11) que os países da América Latina e do Caribe conseguiram avanços importantes na luta contra o trabalho infantil, mas ainda devem se esforçar para erradicar essa prática que afeta 12,5 milhões de crianças na região.

De acordo com uma pesquisa da OIT, 27,9% da população da região tem até 14 anos e houve “redução” no trabalho infantil em relação ao relatório anterior, que era de 14 milhões em 2008. “Mas a notícia preocupante é que o número de menores em ocupações perigosas aumentou, de 9 a 9,6 milhões de crianças, o que evidencia que a grande maioria do trabalho infantil na região está ligado a ocupações de risco”, salientou Elizabeth.

“É necessário tratar das causas fundamentais do trabalho infantil e, para isso, é essencial a proteção social, pois esta reduz diretamente a vulnerabilidade das famílias”, acrescentou a diretora da OIT .

Elizabeth ressaltou que ainda há um longo caminho para percorrer, já que menos de 1% do PIB dos países da América Latina e do Caribe é investido em programas de proteção social, que contribuem para manter as crianças longe do trabalho, nas escolas e nas áreas de lazer, que é onde eles devem estar.

Deixe uma resposta