Opinião: nenhum general da ativa defendeu os generais de 64

Brasil, Brasília, DF, 14/10/1969. O presidente militar, o general Emílio Garrastazu Médici é fotografado em seu gabinete em Brasília. – Crédito:ARQUIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Os socialistas e comunistas decidiram eliminar a memória dos generais de 64.
Primeiro trocaram o nome de Medici pelo nome do terrorista Carlos Lamarca numa escola na Bahia.
Nenhum general da ativa protestou.
Depois trocaram o nome de Costa e Silva pelo nome de João Goulart no Elevado em São Paulo.
Nenhum general da ativa protestou.
Depois um coronel da reserva declarou que o general Kruel recebeu propina da FIESP, o que era mentira.
Nenhum general da ativa protestou.
Dá pra entender a passividade dos generais de agora com os comunistas.
Portam-se a favor deles.