Opinião: mudança de formato fez bem ao Masterchef

Foi ao ar na noite desta terça-feira, 14/7, o primeiro episódio de mais uma edição do Masterchef, que apresentou mudanças. A mais importante delas foi no formato, que perdeu a cara de reality, consagrando um vencedor após meses de competição. Agora, a cada episódio, um participante sai como campeão, o que fez bem ao programa.

Usado incansavelmente pela Band pelo sucesso de faturamento e de audiência (que já foi maior), o Masterchef cansou o público pelas inúmeras edições sem descanso. A troca da forma de disputa muda a cara da atração e descansa o formato anterior. Além disso, as edições pesadas, carregadas de briga e tensão, deram lugar a um clima mais leve, sem muito tempo para discussões e gritos dos jurados, o que, sobretudo em meio à pandemia, é positivo.

As histórias também se renovam. O primeiro programa apresentou um morador da periferia paulistana, que venceu a competição com um bife de fígado e emocionou o público. Tem tudo para dar certo ou, no mínimo, renovar e descansar um formato extremamente saturado. A Band fez bem pela coragem em mexer. Antes tarde do que nunca.

Deixe uma resposta