O tempo de 64 e a atitude de agora

Humberto de Alencar Castelo Branco / Foto: Reprodução

Em 64 o Regime Militar foi criado por um grupo de generais que nem estava no poder em Brasília.
O então comandante do Exército nem sabia o que se passava e as tropas foram colocadas na rua de surpresa, num acordo feito entre São Paulo, Rio e Minas.
Por isto que as tropas de São Paulo e de Minas foram encaminhadas ao Rio.
Na véspera de 31 de março o comandante do Exército disse a João Goulart que estava tudo em ordem.
Quem alimentou as tropas de Minas foi o banqueiro Magalhães Pinto que era governador de Minas.
Quem alimentou as tropas de São Paulo foi Adhemar de Barros que era governador de SP.
As tropas foram a campo num acordo entre comandantes regionais sem o conhecimento do comandante do Exército Jair Ribeiro que não tinha mais a confiança dos generais patriotas.
No dia 20 de março, Castelo Branco fez um comunicado aos generais que tinham tropas mostrando os malefícios do comunismo de João Goulart.
Castelo era o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas.
Castelo era um estadista e não admitia comunismo e jamais bateria continência a um ministro da defesa comunista.
Então a única saída pra um novo Regime Militar jamais vai sair do General Eduardo que é atual comandante do Exército.
O General Eduardo foi nomeado por Dilma, a terrorista, endossado por Lula e simpatizante dos comunistas.
Qualquer movimento militar só pode ser realizado pelos comandantes de tropas do Sul, SP e Minas que atualmente são generais patriotas.
De Brasília nada.

Deixe uma resposta