O dilema das grandes empreiteiras

Presidenta Dilma / Foto: Divulgação
Presidenta Dilma / Foto: Divulgação

As construtoras jamais foram um exemplo de virtudes e seus executivos nem são santos e nem ingênuos.

Mas as empreiteiras empregam milhares de pessoas, aliás somadas entre empregos diretos e indiretos passamos de 20 milhões de pessoas.

Todas dependem de obras do governo federal , estadual e municipal.

O governo não é corrupto porque o governo é uma instituição.

Membros do governo ou nomeados por ele em muitas épocas foram e são corruptos.

Membros do governo ou representantes nomeados por membros do governo podem determinar que as empreiteiras tem que pagar propina pra poderem continuar a ter obras e manter seus quadros de funcionários.

Neste momento o empreiteiro vai pra casa com duas opções.

Ou paga a propina definida pelo agente corrupto e mantém a empreiteira trabalhando e mantém empregos ou fecha a empresa.

Os executivos de empresas não são pagos pra fechar empresas mas sim pra fazer as empresas crescer e gerar empregos e lucro no mais adverso ambiente que apresentado seja.

Membros do governo ou nomeados pelo governo criaram o ambiente corrupto e passa a ser vergonhoso todo sistema aparelhado por pessoas que criam falcatruas desde uma fraude em concurso público com camaradas garantidos em lista de aprovados até um petrolão da vida.

Aqui não se fala de um partido político mas sim de uma institucionalização da corrupção através de anos.

Em 1989 o jornalista Ricardo Boechat ganhou Prêmio Esso de jornalismo com uma grande mostra de corrupção dentro da Petrobras.

Nada do que está mostrado nos dias de hoje nasceu nos dias de hoje.

Isto nem tira a culpa de ninguém e nem justifica a corrupção sendo ato corriqueiro nos meandros da vida política.

As indicações são todas políticas e ninguém pode contestar estes fatos e origens.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta