O chefe da guerrilha que matou seu companheiro

aliança nacional libertadora

Isto é o que a Comissão da Verdade de Dilma esconde.

Dia 26 de março de 1971 Carlos Eugênio Paz, chefe da Aliança Libertadora Nacional, um dos grupos guerrilheiros dos comunistas no Brasil, matou a tiros seu companheiro de guerrilha porque o companheiro fugiu de um enfrentamento com militares.

A execução se deu em São Paulo no bairro dos jardins.

Isto é apenas um dos itens que são escondidos pela turma de guerrilheiros que está no poder no Brasil, incluindo a antiga guerrilheira Dilma Rousseff e seus antigos colegas.

Jamais lutaram pela democracia mas sim pela ditadura cubana.

Pela democracia lutou Ulysses Guimarães, Franco Montoro, Paulo Brossard e alguns outros menos votados, que ficaram no Brasil no Congresso confrontando ideias e ideais.

O Diretas Já começou com gente séria e democrata mas logo se permitiu a participação de ex guerrilheiros e comunistas que transformaram o Diretas Já em base de sua tomada pelo poder até conseguirem eleger Fernando Henrique, que permitiu a criação do MST e entregou a presidência a Lula e sua turma.

Foi no apartamento de Fernando Henrique, em 2005 que aconteceu a reunião entre ex guerrilheiros e socialistas que impediu o pedido de cassação de Lula e a extinção pela lei do seu partido por ter recebido dinheiro do exterior pra campanha.

Desafio alguém a contraditar tudo que eu escrevi agora.

Deixe uma resposta