“My way” ♫; Relembre a história de Frank Sinatra

Francis Albert “Frank” Sinatra,(Hoboken, 12 de dezembro de 1915 — Los Angeles, 14 de maio de 1998) foi um cantor e ator americano.

Filho de dois imigrantes italianos, Natalie Della Garavante,genovesa, mais conhecida como “Dolly”, e Anthony Martin Sinatra, um siciliano, analfabeto e boxeador, o pai de Frank Sinatra imigrou para Nova York em 21 de dezembro de 1903, a bordo do Cittá di Millano SS, vindo junto com sua mãe, Rosa Sagliabeni Sinatra e duas irmãs, Angela e Dorotea, o pai de Anthony, Francesco, avô paterno de Frank Sinatra, já estava em Nova York, trabalhando em uma fábrica de lápis.

Anthony e Dolly se casaram em 14 de fevereiro de 1914, e foram morar, em Hoboken, Nova Jérsey, na 415 Monroe Street, aonde tiveram seu único filho, Frank Sinatra.

Filho de dois imigrantes italianos, foi casado com Nancy Barbato e posteriormente com as atrizes Ava Gardner e Mia Farrow, e com a socialite Barbara Marx, com quem terminou seus dias. Possui duas estrelas na Calçada da Fama, uma por seu trabalho na música e outra por seu trabalho na TV americana. É considerado um dos maiores intérpretes da música na década de 1950. Teve três filhos: Nancy Sinatra, Frank Sinatra Jr., e Tina Sinatra.
Sem nenhum treinamento formal, Sinatra desenvolveu estilo altamente sofisticado. Sua habilidade em criar uma longa e fluente linha musical sem pausas para respiração, sua manipulação de frases o fez chegar bem mais longe que o usual dos cantores populares.

Sinatra apareceu em mais de cinquenta filmes, entre eles: “Anchors Aweigh” (1945), “On The Town” (1949), “From Here To Eternity” (1953), com o qual ganhou o Oscar, “The Man With The Golden Arm” e “High Society” (ambos de 1956), “The Manchurian Candidate” (1962) e “The First Deadly Sin” (1980). Fez parte do chamado Rat Pack, grupo de artistas muito ativo entre meados da década de 1950 e 1960.

Fez um show histórico no Brasil, no Rio de Janeiro, em um Maracanã lotado em 26 de Janeiro de 1980, do qual tocou para impressionantes 170 mil pessoas, entrando para o livro Guiness de Recordes. Teve seu próprio show de TV durante vários anos e nos anos 90 continuou na ativa em concertos e gravações, onde lançou uma série de duetos, inclusive via satélite, utilizando recursos da mais moderna tecnologia.[carece de fontes]
Seus principais sucessos são “Fly me to the moon”, “My Way” Ludogerio” e “New York, New York”. Sinatra também cantou com o brasileiro Tom Jobim. Na oportunidade, “The Girl from Ipanema” brindou o grande encontro.

Leia a notícia do “JC online” sobre a morte de Sinatra em 1998:

 Frank Sinatra, de 82 anos, morreu ontem vítima de ataque cardíaco, no Hospital Cedars-Sinai, de Los Angeles, às 22h50 (hora local, 2h50 de Brasília). Sua quarta mulher, Barbara, e seus filhos Frank Jr., Tina, Robert e Nancy, assim como dois de seus netos, estavam a seu lado quando morreu na sala de emergência do hospital.

O cantor não era visto em público desde janeiro do ano passado, quando sofreu um ataque cardíaco. Desde essa época, repousava a maior parte do tempo. Em fevereiro deste ano, Sinatra acabou mais uma vez internado, oficialmente para realizar exames. Há 20 dias, retornou ao hospital, supostamente para realizar novos exames. Depois de algumas horas, foi liberado pelos médicos.

Segundo amigos próximos, o cantor e ator estava com a saúde bastante debilitada nos últimos meses e passava a maior parte do tempo com os familiares. Acreditava-se que o cantor sofresse de câncer na bexiga.

Sinatra, em 60 anos de carreira, lançou mais de 200 álbuns. O “olhos azuis” gravou sucessos mundiais como “Try a Little Tenderness,” “My Way,” “I`ve Got You Under My Skin” e “Strangers in the Night”. Como ídolo do cinema, atuou em “A Um Passo da Eternidade”, “Aconteceu Assim” e “O Homem do Braço de Ouro”. No total, o artista gravou 1.800 músicas e teve seu nome incluído nos créditos de 60 filmes. Ganhou nove Grammys e um Oscar, por sua participação em “A Um Passo da Eternidade”.

Nascido em New Jersey, nos Estados Unidos, em 1915, filho único de um casal de italianos, Sinatra tornou-se um ícone da cultura americana. Foi o recordista em presença entre os mais ouvidos da Billboard, figurando ininterruptamente na lista dos “tops” entre 1955 e 1995. Com a morte de Sinatra, acaba uma época de glamour e sofisticação na música do século 20.

Amigos e fãs começaram a se aglomerar diante da mansão do artista em Bel-Air assim que foi divulgada a notícia de sua morte. “Este é o dia mais triste de minha vida”, afirmou a cantora Eydie Gorme, amiga de Sinatra. As emissoras de rádio e TV interromperam sua programação normal para dar a notícia e jornais como o New York Post chegaram às bancas com edições epeciais.

O presidente Bill Clinton, que participa de um encontro do Grupo dos Oito, em Birmingham, Inglaterra, disse: “Creio que todos os americanos deveriam sorrir e dizer que ele realmente fez as coisas a seu modo”, numa referência a uma de suas canções mais famosas, My Way.

O presidente francês Jacques Chirac também lamentou a morte do cantor e ator. “Ele fez nossa geração sonhar”, afirmou. “Havia seu talento, seu carisma e sua voz – que deu o ritmo, acompanhou e fez nossa geração sonhar – mas havia também sua personalidade calorosa e entusiasmada”, prosseguiu. “Tive a sorte de conhecê-lo e nossa amizade foi imediata, ninguém poderá ocupar o seu lugar”.

Em Cannes, a atriz francesa Jeanne Moreau também lamentou a morte do cantor. “Ele vai cantar com os anjos e tenho certeza de que eles existem”.

Segundo a porta-voz da família Sinatra, Susan Reynolds, o enterro será uma cerimônia reservada. Antes de morrer, o cantor pediu que amigos e admiradores fizessem doações para o Centro Infantil Barbara Sinatra, do Eisenhower Medical Center, da Califórnia.

Sinatra foi o primeiro cantor popular a conquistar o público adolescente, que superlotava seus shows no início da década de 40, muito antes de Elvis Presley e dos Beatles.

O cantor foi casado quatro vezes, com sua amiga de infância Nancy Barbato, que lhe deu os três fillhos, com as atrizes Ava Gardner e Mia Farrow, e, desde 1976, com Barbara Marx, viúva de Zeppo Marx e companheira dos últimos anos de sua vida. Além disso, teve casos com outras grandes damas de Hollywood como Marlene Dietricht e Liz Taylor.

Assista o cantor mostrando seu talento em “My way”:

@LucasCanosa

Deixe uma resposta