Mulher alvo de pegadinha de Nego do Borel morre um mês antes de receber indenização

Foto: Divulgação

Hilda de Britto Champoudry movia um processo na Justiça contra Nego do Borel, mas o caso foi arquivado recentemente. A guia turística processava o cantor por causa de uma pegadinha que ele fez com ela e divulgou nas redes sociais, tudo isso sem autorização. Porém, a senhora de 62 anos morreu em outubro de 2019, sem receber a indenização que pedia na Justiça.

A história aconteceu em 2014 no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Hilda estava esperando os parentes no local, quando Nego do Borel resolveu que podia fazer uma brincadeira com ela.

Segundo consta no processo, obtido pelo site Notícias da TV, o namorado de Duda Reis se laçou sobre a guia “gritando, como se fosse tombar sob ela, saindo às gargalhadas, sob o riso e gracejos de outras pessoas”. A brincadeira fez com que a senhora tivesse uma aceleração cardíaca, que só foi resolvida após ela tomar um calmante.

Nego do Borel divulgou nas redes sociais e, devido à repercussão da pegadinha, a guia turística se sentiu constrangida e deu início ao processo . Ela pedia R$ 95 mil de indenização.

A audiência estava marcada para novembro de 2019, mas Hilda morreu um mês antes da data, vítima de um câncer de útero. No dia da audiência, Nego estava presente com o advogado. A advogada da guia compareceu à sessão e informou que a cliente dela havia falecido.

Por causa da morte, a juíza Andreia Florêncio Berto julgou a ação extinta e, na semana passada, o caso que corria na 7ª Vara Cível Regional de Jacarepaguá foi arquivado.

Deixe uma resposta