Marinho critica falso engajamento na luta contra racismo

Foto: Ivan Storti/Santos

“O que queremos? Igualdade. Porque todo mundo merece isso”. Convidado pelo Observatório da Discriminação Racial no Futebol, para uma campanha que chama a atenção para a morte de negros e negras no Brasil: “Poderia ser eu”, o atacante do Santos, Marinho, mostrou-se preocupado com o engajamento popular em torno da luta antirracista.

Em entrevista ao Esporte Espetacular, que vai ao ar neste domingo, o atacante destacou o receio de que a causa seja esquecida após o arrefecimento dos protestos nos Estados Unidos e no mundo.

Na avaliação do atacante, é necessário que pessoas brancas adotem uma postura antirracista além do discurso em redes sociais.

“Muitas pessoas brancas que defendem a causa, ótimo. Legal. Acho da hora. Mas tem muita gente que defende a causa simplesmente para ganhar mídia. Simplesmente para ganhar like. E isso é uma das coisas que me revolta. Porque, quando acontece alguma coisa, estão vestindo a camisa na hora de aparecer na televisão, mas por que não bota a cara quando a gente precisa? Quando nós precisamos de apoio, por que não aparece? Mas quando tem câmera, todo mundo quer aparecer”.

A campanha do Observatório da Discriminação Racial no Futebol alerta para o fato de que, a cada 23 minutos, uma pessoa negra perde a vida em decorrência da violência no Brasil, segundo a Organização das Nações Unidas. 

– A gente vê muitos branquinhos aparecendo. Nada contra, eu conheço muitos brancos que também defendem a causa porque também tem o sangue negro. O que queremos? Igualdade. Porque todo mundo merece isso.

Deixe uma resposta