“Malandragem, dá um tempo” ♫; Relembre a história de Bezerra da Silva

José Bezerra da Silva (Recife, 23 de fevereiro de 1927 — Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 2005) foi um cantor, compositor, violonista, percussionista e intérprete brasileiro dos gêneros musical coco e samba, em especial de partido-alto.

No princípio, dedicava-se a gêneros nordestinos, principalmente o coco até se transformar em um dos principais expoentes do samba nos anos seguintes. Através do samba, cantou sobre os problemas sociais encontrados dentro das comunidades, se apresentando no limite da marginalidade e da indústria musical. Estudou violão clássico por oito anos e passou outros oito anos tocando na orquestra da Rede Globo, sendo um dos poucos partideiros que lia partituras.

Gravou seu primeiro compacto em 1969 e o primeiro disco em 1975, de um total de 28 álbuns lançados em toda a carreira que, somados, venderam mais de 3 milhões de cópias.3 Ganhou 11 discos de ouro, 3 de platina e 1 de platina duplo. Apesar de ter sido um dos artistas mais populares do Brasil, foi um artista bastante ignorado pelo “mainstream”.

Leia a notícia da “Folha” sobre a morte de Bezerra em 2005:

O cantor Bezerra da Silva morreu nesta segunda-feira no Rio de Janeiro, aos 77 anos. Ele estava internado desde 28 de outubro, com problemas pulmonares, no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital dos Servidores do Estado. À época, ele foi levado para o hospital pelo Corpo de Bombeiros depois de se sentir mal em seu apartamento, no bairro de Copacabana.

Antes disso, o sambista já havia passado por uma internação em setembro, numa clínica privada do Rio, quando foram diagnosticados pneumonia e enfisema pulmonar.

Bezerra teve alta, mas continuou fazendo tratamento em casa, valendo-se de uma estrutura montada por sua mulher, Regina. Com a piora de seu quadro, foi novamente internado.

Assista o talento de Bezerra em um de seus maiores sucessos:

WKP/Folha

Deixe uma resposta