Lenda do túmulo do gato Bóris

O Gato Bóris é mais um causo urbano de Curitiba, pois se trata de um felino negro que morava dentro de um sebo, livraria de livros usados, e que passeava pelo Largo da Ordem. Reza a lenda que este bichano virava homem nas noites de Lua Cheia e andava pelos bares, ao redor, com o objetivo de namorar mulheres.

Dia 17 de fevereiro de 2016, Bóris estava caminhando pelo seu bairro. Quando, de repente foi atacado por um cachorro e resolveu se esconder no estacionamento, localizado ao lado do sebo e atrás da loja de artigos indianos, onde faleceu do coração por causa do susto. Então o dono da loja de artigos indianos enterrou o animal num pedaço de terra, aos fundos do estacionamento, onde no muro estava escrito a palavra: Dinâmico, que é um nome de um cursinho do Largo da Ordem. Mas também significa tudo o que o gato Bóris foi: dinâmico. Pois, este felino participou de filmes, trabalhou na livraria encantando a todos e até foi vítima de um sequestro com um final feliz. Além disto, o dono da loja de artigos indianos colocou um vaso com flores em cima do túmulo do animal. Hoje o vaso encontra-se quebrado. Porém, algumas pessoas falaram que o vaso se quebrou quando o fantasma do gato saiu do túmulo para passear no Largo da Ordem. O rapaz, que é dono da loja de artigos indianos, disse que nas noites de Lua Cheia escuta os miados de Bóris e seus passos no telhado. Este moço, também, pretende enfeitar e pintar o túmulo deste bicho que, com certeza, será uma eterna Lenda Urbana de Curitiba.

Luciana do Rocio Mallon / @lucianadorocio

“Lendas do Universo”, toda sexta-feira, às 20 horas, no BDI.

O livro da autora 

Mande seu e-mail para Luciana : lucianadorocio@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta