Lenda do Morro do Anhangava

lendas do universo

No município de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, existe o morro do Anhangava, que possui muitas Lendas Urbanas, leremos algumas abaixo:

O Morro do Diabo e Extraterrestres:

Há anos atrás a região mais próxima deste morro era habitada por uma tribo indígena. Um certo dia, os nativos viram um objeto voador não identificado, muito brilhante, que posou naquela montanha. Então alguns guerreiros foram designados para irem até o local.
Chegando lá, estes índios viram uma criatura estranha sair da nave. Pois, ela possuía uma cabeça enorme com chifres. Logo, eles saíram correndo porque pensaram que aquele ser era o diabo. A partir daquele momento o local recebeu o nome de Anhangava, que significa Morada do Diabo em tupi-guarani.
Por curiosidade, até hoje, o Morro do Anhangava é visitados por ufólogos que dizem que o local é um ótimo ponto para contatos imediatos do terceiro grau. Inclusive, há relatos onde os moradores mais próximos afirmaram terem vistos naves espaciais pousarem naquela montanha.

O Morro do Urubu, a Bruxa e o Pão de Loh:

Em Portugal, na época do Brasil-Colônia, algumas feiticeiras entraram escondidas nas embarcações que iam para terras tupiniquins. Este foi o caso da Bruxa do Pão de Loh, que tinha este apelido por ser especialista neste tipo de confeito.

Deste jeito, esta feiticeira chegou no Sul do Brasil, na Região de Quatro Barras. Temendo despertar suspeitas, a bruxa escondeu-se, numa caverna, perto do Morro do Anhangava, onde através de sua lábia, fez amizades com índios locais.

Naquela região, esta mulher plantava e fazia seu confeito preferido: pão de loh. Ás vezes, ela perambulava pelas comunidades da região com a intenção de vender este produto. Como esta senhora também tinha habilidades artísticas, ela pintou a sua caverna e praticou o artesanato.

Um certo dia, um urubu apareceu nesta sua gruta e a dama fez amizade com este bicho. Por isto, sua moradia recebeu o apelido de Caverna do Urubu.

Reza a lenda que um certo dia, esta bruxa fez uma magia para conseguir fazer o maior pão de loh do mundo, com objetivo de expô-lo numa feira. Mas, desta vez, ela errou no feitiço e o confeito cresceu tanto que virou um outro morro, que ficou conhecido como Morro do Pão de Loh.

Missa no Dia Primeiro de Maio no Anhangava:

Reza a lenda que no começo do século vinte, um rapaz com curso superior perdeu o emprego e não conseguiu arrumar outro. Por isto, ele entrou em depressão, enforcou-se no Morro do Anhangava e morreu.

Então, o diabo veio buscar a sua alma para levá-la ao Vale dos Suicidas. Porém, de repente apareceram Nossa Senhora do Trabalho com São José Operário:
– Demônio deixe esta alma em paz, pois temos uma missão mais importante para ela.
Desta maneira, satanás ficou com medo e saiu correndo.
A virgem disse ao suicida:
– Suicídio, geralmente, não tem perdão. Porém, resolvemos ter piedade do seu espírito, mas você deverá cumprir a seguinte missão:
– Inspirar o povo a fazer uma tradicional Missa do Dia Primeiro de Maio aqui, pois quem participar deste culto nunca ficará desempregado.
O rapaz aceitou a proposta. Por isto, todo do Dia do Trabalho há uma missa lá.

Luciana do Rocio Mallon / @lucianadorocio

“Lendas do Universo”, toda segunda-feira, às 20 horas, no BDI.

O livro da autora 

Mande seu e-mail para Luciana : lucianadorocio@bastidoresdainformacao.com.br