Lenda da carroça do hermafrodita

lendas do universo

Quem me contou esta lenda foi minha falecida vó Lena e resolvi postá-la aqui.

Há muitos anos, num vilarejo chamado Butiá do Lajeado, região rural da cidade de Mafra, em Santa Catarina, existia um casal de lavradores que tinha uma casa de madeira no meio do mato. Um certo dia, a mulher deu à luz ao seu primeiro bebê, bem numa noite de eclipse. Mas, a parteira se assustou ao ver o sexo deste neném e explicou:
– Esta criança é hermafrodita, pois têm os dois órgãos genitais. Diz a tradição que isto costuma acontecer com bebês que nascem em noites de eclipse.
Assim, o pai do neném exclamou:
– E, agora?
A parteira sugeriu:
– Criem esta criança como se fosse menina. Mas, evitem que ela tenha muito contato social. Em vez de leva-la para a escola, alfabetizem a pequena em casa mesmo. Porém, nunca deixem sua filha cruzar a ponte que separa Mafra da cidade de Rio Negro, pois deste outro lugar para cima, sua aparência ficará masculinizada.

Deste jeito o neném foi batizado de Maria e passava a maioria do tempo trancada em casa. Apenas saia para ir às missas e às festas religiosas acompanhadas dos pais.

carroça

O tempo passou, a garota cresceu e chegou à adolescência. Um dia, esta jovem foi à festa de Santa Rita junto com os seus pais. Porém, a menina passou o tempo inteiro encarando outra adolescente no evento. Quando seus parentes se descuidaram, Maria se aproximou da outra garota. Assim ela descobriu que sua nova amiga morava em Rio Negro, cidade vizinha, e pediu o endereço dela. Já que naquela época, não havia telefone disponível e muito menos Internet.
Maria começou a sentir algo muito profundo, com relação a sua nova colega que não sabia descrever. Um certo dia, seus pais foram a outro vilarejo e deixaram a adolescente sozinha em casa. Por isto, ela decidiu pegar uma carroça e visitar sua mais recente amiga.

Porém, quando ela cruzou a ponte que separava Mafra de Rio Negro, transformou-se num rapaz. Logo, a moça sentiu algo estranho, pegou o espelho que tinha na bolsa e se assustou ao ver a transformação. Mesmo assim não desistiu de ver sua colega. Quando, finalmente, chegou ao endereço desejado, ficou na rua observando a casa da garota. Quando, de repente, a jovem apareceu na janela, avistou a aparência masculina de Maria e se apaixonou por ela. Deste jeito, uma se aproximou da outra e começaram a namorar. Para contornar a situação, Maria mentiu que se chamava Pedro e confessou morar numa região rural de Mafra.

Deste jeito toda a vez que os pais de Maria caminhavam para longe, a jovem cruzava a ponte que separava Mafra de Rio Negro para ver a amada, com a aparência de Pedro. O problema é que a nova namorada possuía um noivo chamado José. Um certo dia, este rapaz descobriu tudo, seguiu Maria e jogou a carroça junto com a pobre da ponte Rio Negro-Mafra. Porém a partir daquele dia, este hermafrodita virou um fantasma que até hoje, segundo a lenda, assombra esta ponte. Muitas pessoas afirmaram ver uma moça, numa carroça, que é mulher quando a ponte ainda está em Mafra, mas que vira homem quando seu meio de transporte chega à cidade de Rio Negro.

Luciana do Rocio Mallon / @lucianadorocio

“Lendas do Universo”, toda terça-feira, às 20 horas, no BDI.

O livro da autora 

Mande seu e-mail para Luciana : lucianadorocio@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta