Lembra-se do Pride, a Arena Oriental?

Minotauro começou no Pride / Foto: Reprodução

Minotauro começou no Pride / Foto: Reprodução

O hoje extinto torneio Pride Fighting Championships, ou simplesmente Pride como é mais conhecido, foi durante muitos anos considerado o maior e mais popular evento de MMA do mundo.

O torneio teve sua primeira edição em outubro de 1997 e os eventos eram realizados no Japão, com exceção das edições Pride 32 e 33, que ocorreram nos E.U.A. quando ele já estava para ser incorporado ao UFC, o que aconteceu em novembro de 2008.

Embora, assim como o UFC, o Pride original fosse um evento de MMA suas regras eram ligeiramente diferentes do evento promovido por Danna White. As lutas não eram disputadas no octógono, mas sim em ringues semelhantes aos de boxe e muay thai, além de contarem com um round de dez minutos e mais dois de cinco.
Porém o que levava mais emoção aos fãs (e traz saudade a alguns lutadores) desses eventos japoneses era o fato de ser permitida a aplicação de cotoveladas, além de chutes, pisões e joelhadas contra o oponente quando ele se encontrava com pelo menos três apoios (pernas e braços) no chão. Isso abria possibilidade à aplicação daquilo que no MMA se conhece por “cobrança de pênalti”.

Assim como aconteceu no UFC, no início o Pride não era dividido em categorias de peso, tanto que o primeiro campeão do torneio, o brasileiro Rickson Gracie, conseguiu o título vencendo Nobuhiko Takada, quase vinte quilos mais pesado que ele.

Posteriormente o evento foi dividido em quatro categorias: Pesado, Médio, Meio-médio e Leve, para garantir a integridade dos atletas e melhorar sua organização.

O evento revelou lutadores que até hoje são verdadeiras lendas do MMA como Mirko Crocop, Emelianenko Fedor, Kazushi Sakuraba, Dan Henderson e os brasileiros Antônio “Minotauro” Nogueira, Wanderlei Silva, Murilo Bustamante, Rickson Gracie, entre tantos outros.

Muitos fãs de MMA conhecem muito pouco do Pride, muitos sequer ouviram falar dele, estando atrelados somente ao UFC, mas fica a dica para que procurem ver algumas lutas desse grande torneio que deixou saudades.

Mande e-mail para o colunista: oscarmendes@bastidoresdainformacao.com.br