Lava Jato: Juiz solta fundador da Qualicorp e outros suspeitos por caixa 2 de R$ 5 milhões a José Serra

Foto: Divulgação

O juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, determinou a soltura dos empresários José Seripieri Filho, fundador e ex-presidente da administradora de planos de saúde Qualicorp, Mino Mattos Mazzamati e Rosa Maria Garcia. Eles foram presos na última terça, 21, na Operação Paralelo 23, que mira o senador José Serra (PSDB-SP) por suposto caixa dois de R$ 5 milhões nas eleições de 2014.

A decisão, proferida nesta sexta, 24, atendeu a pedidos dos defensores dos empresários e antecipou o fim das prisões temporárias.

O juiz destacou que as medidas foram decretadas para assegurar o interrogatório e a produção de elementos de informação ‘sem contaminação de elementos indiciários, tendo em vista o significativo poder de influência dos investigados sobre eventuais testemunhas e demais indivíduos envolvidos, bem como a possibilidade de dilapidação patrimonial’.

“Uma vez realizados os interrogatórios, a prisão temporária dos investigados deixa de consistir em medida imprescindível a continuidade das investigações conduzidas no Inquérito Policial”, escreveu o magistrado na decisão.

As investigações da ‘Lava Jato Eleitoral’, que levaram os executivos à prisão, apontam, segundo o Estadão, que o Seripieri teria repassado a quantia ao tucano por meio de ‘estrutura financeira e societária’ que ocultou as transferências das autoridades e órgãos de controle. Os demais empresários são acusados de serem operadores do esquema.

O caso teria sido revelado pelo ex-diretor da Qualicorp, Elon Gomes de Almeida. Segundo a PF, Elon disse que Seripieri fez três pagamentos, em setembro de 2014, para o custeio de despesas de campanha de José Serra ao Senado Federal.

As fraudes teriam sido ocultadas por notas fiscais falsas, que detalhariam aquisição de licença de software e contratação de serviços gráficos que jamais foram realizados.

Deixe uma resposta