Justiça contra mensaleiros se tornou tortura

Foto: Divulgação PT
Foto: Divulgação PT

O ministro Joaquim Barbosa decidiu suspender todas as permissões pra que condenados do mensalão possam trabalhar fora da prisão.

O mesmo ministro Joaquim se empenhou e muito pra que estes senhores políticos fossem condenados ao maior número de anos possível.

E ficou muito irritado quando, num determinado momento, novos ministros nomeados no STF acabaram por reduzir as penas dos réus transformando muitos regimes fechados em semiabertos com direito a trabalho fora da prisão.

E este direito, antes do cumprimento de um sexto da pena, já foi jurisprudência do mesmo STF.

Eis que primeiro o ministro Joaquim impede esta possibilidade de trabalho a José Dirceu e logo a seguir suspende este direito aos que já o tinham conquistado e estavam trabalhando fora.

Tanto José Dirceu quanto os outros tem direito ao pedido que o Plenário do STF julgue seus pedidos de reconsideração.

Mas quem coloca em julgamento é o próprio presidente, ministro Joaquim.

Ora, se o próprio ministro Joaquim suspendeu o benefício, lógico que deixará ao relento o pedido.

No meu modesto entender isto é uma tortura contra os condenados.

Eu, que jamais fui a favor da tortura mesmo contra os terroristas cubanos que roubaram e mataram no tempo do Regime Militar, não vou ser a favor de tortura contra condenados de agora, mesmo estando entre eles dois cubanistas.

Não podemos copiar e apoiar coisas que sempre fomos contra por razões humanísticas.

O ministro Joaquim sabe que quando colocar em julgamento no Plenário do STF o direito de trabalho fora dos condenados a regime semiaberto a maioria vai ser a favor do trabalho fora mesmo sem um sexto de pena cumprida.

A Justiça não pode punir e ao mesmo tempo perseguir seus condenados.

Poder até pode que é o caso que estamos vendo.
Mas não deveria.

Mande seu e-mail para James Akel : jamesakel@bastidoresdainformacao.com.br

Deixe uma resposta