Jogadores do Botafogo marcam protesto e greve não é descartada por causa dos salários atrasados

eduardohungaro_botafogo_lucianobelford
(Foto: Luciano Belford/SSPress)

Às vésperas de um jogo considerado crucial na Libertadores, os jogadores do Botafogo decidiram tomar uma atitude radical. Como forma de protesto pelo atraso de salários, o elenco vai subir ao campo para treinar na manhã deste sábado, mas ficará sem fazer qualquer atividade durante cerca de 30 minutos.

O protesto também deve ocorrer na segunda e na terça-feira, véspera do jogo contra o Unión Española. Neste sábado os jogadores treinarão, mas ficarão sem trabalhar nos primeiros minutos da atividade a ser comandada pelo técnico Eduardo Hungaro. No elenco, a insatisfação chegou ao limite. Oficialmente a diretoria alega que o clube deve um mês de salários atrasados, vencidos no último dia 20. No entanto, os jogadores afirmam que são dois meses de atrasos na carteira e dois meses de direitos de imagem.

A paciência acabou depois que a diretoria havia prometido quitar os salários antes do jogo desta quarta-feira. A insatisfação vem desde o ano passado. Os protestos começaram com a recusa em fazer concentração – que acabou por tornar-se prática instituída no Botafogo –, chegando ao ponto de o time viajar para disputar uma partida em São Paulo, pelo Brasileiro, somente no dia do jogo. Do outro lado, o Botafogo vive situação de extrema asfixia financeira, com suas receitas bloqueadas pela Fazenda Nacional.

Deixe uma resposta