Joaquim Barbosa e as cotas raciais

Foto: Divulgação

Numa época em que a Justiça decreta que os cargos públicos de concurso tem que ter 20% de negros, a gente vê no exemplo de Joaquim Barbosa que os negros podem ser o que desejarem desde que se dediquem aos estudos e ao trabalho com vontade se ser alguma coisa.
Joaquim Barbosa era faxineiro e foi estudar mesmo sendo faxineiro.
Conseguiu não apenas passar com excelência nos estudos mas também se formou dentro e fora do Brasil.
Além de falar com sabedoria várias línguas.
É uma sumidade jurídica e um dos maiores senão o maior exemplo de negro bem sucedido no país.
Mas ele jamais precisou ser beneficiado por cotas do que quer que seja durante o tempo em que estudou e ganhou concurso pra ser promotor e juiz.