Islândia já é a nova “queridinha” da Copa de 2018

Por Deyvid Xavier

Foto: trivela.uol.com.br

Pela primeira vez na história a Islândia, uma ilha entre o Oceano Atlântico e o Mar da Groenlândia, com pouco mais de 300 mil habitantes, vai poder desfrutar de uma Copa Do Mundo, já que a seleção deve confirmar a classificação na última rodada do Grupo I das Eliminatórias Europeias, disputada na terça-feira (10).

A surpresa do futebol mundial já tinha feito uma excelente campanha na Eurocopa de 2016, na França, quando, também estreante, não perdeu nenhuma partida na fase de grupos, classificou-se na frente de Portugal (que viria a ser campeão mais tarde), eliminou a Inglaterra nas Oitavas de Final e foi eliminada na fase seguinte para os donos da casa.

Agora, a seleção que lidera o seu grupo na Europa e eliminou, na última rodada, a Turquia, com uma vitória incontestável fora de casa por 3 a 0, tem como adversário a novata seleção do Kosovo, lanterna do grupo com apenas 1 ponto (conquistado no primeiro jogo com o empate diante da Finlândia por 1 a 1), que levou 22 gols em 9 jogos e tem saldo negativo de 19 gols. Sim, a Islândia só depende dela para debutar na Copa da Rússia.

Croácia e Ucrânia, os dois “perseguidores” da Islândia, ainda brigam pela liderança do grupo e a vaga direta na Copa, mas sabem que a missão é difícil, já que além de “se matarem”, pois se enfrentam na última rodada, têm que torcer para que o Kosovo faça o que não fez em toda a Eliminatória.

Assim como o Taiti foi a seleção “simpática” da Copa das Confederações em 2013, a Islândia será a “miss simpatia” do futebol mundial em 2018. Com a diferente condição que, mesmo sendo uma equipe sem respeito entre os grandes do futebol mundial, pode aprontar mais do que o Taiti na disputa de competições grandes.