Imprensa inglesa critica demissões em excesso de técnicos no Brasil

Foto: Alexandre Vidal / CRF

O canal de TV inglês Sky Sports usou o fracasso do catalão Domenec Torrent , demitido do Flamengo nesta semana, para levantar questões sobre o motivo pelo qual uma nação orgulhosa do próprio futebol partiu para a Europa em busca de seus treinadores. A mídia inglesa também contesta a cultura de muitas demissões de técnicos no Brasil.

– A maneira como os clubes brasileiros estão agindo é definitivamente errada. Os treinadores passam uma semana, um mês, ou dois ou três, na esperança de fazerem maravilhas. Não é possível – disse Jurgen Klopp em uma entrevista no ano passado quando questionado sobre a situação no Brasil.

Técnico do Liverpool, Klopp teve que esperar quatro anos pelo seu primeiro troféu com o time inglês. Segundo a publicação da Sky Sports, no Brasil, o tempo médio de permanência de um treinador em um time é de cerca de 15 jogos. Dos 20 clubes que fazem parte da primeira divisão do Campeonato Brasileiro, apenas seis mantiveram o técnico com o qual começaram a competição.

– É o tipo de coisa que faz os dirigentes dos maiores clubes da Europa parecerem modelos de paciência, se compararmos ao Brasil. Os treinadores brasileiros são os sobreviventes de um jogo tóxico e tiveram que se adaptar a isso – afirma o jornalista inglês Adam Bate.

Além de Torrent, outro treinador estrangeiro com curta passagem pelo Brasil neste ano foi o português Jesualdo Ferreira que ficou apenas sete meses no Santos. Ainda assim, os portugueses Ricardo Sá Pinto e Abel Ferreira, que comandam Vasco e Palmeiras respectivamente, aceitaram o desafio de trabalhar num mercado tão impaciente. Com Jorge Sampaoli e Ramon Diaz à frente de Atlético Mineiro e Botafogo, atualmente, quatro dos 12 clubes de maior torcida do Brasil estão sendo treinados por estrangeiros.

Deixe uma resposta