Imperador ou “emperrador”?

Foto: espn.uol.com.br

Foto: espn.uol.com.br

Já diz o ditado: “onde há fumaça, há fogo!”. Então, no mundo do futebol: onde há encontro de treinador e atleta, há conversa de contrato!”. E, com certeza, não foi sobre a alta do dólar que Adriano e Muricy Ramalho conversaram.

Mas, será que vale a pena? Um excelente jogador que não consegue ter uma vida tranquila e se cuidar fora dos gramados, que tem inúmeras recaídas e não é profissional, poderia ser produtivo a algum time grande do país? O (ex) Imperador já teve muitas oportunidades em grandes clubes do eixo Rio-São Paulo-Paraná, e pouquíssimas foram aproveitadas. O próprio Andrés Sanchez já externou há quantas sessões de fisioterapia Adriano faltou na época de Corinthians. Concordo que todos mereçam uma segunda chance, mas com Adriano, já perdi as contas de quantas foram! Clubes não são clínicas de recuperação, pois é isto que se fala todas as vezes que se ouve especular Adriano em algum time: recuperar o jogador! Ele próprio não se ajuda!

O Flamengo está numa boa retomada em sua gerência, vem sendo elogiado por grande parte da imprensa carioca por sua últimas gestões. Devemos acreditar em Adriano? De tantas oportunidades dadas, o contexto já não é mais este, e a pergunta que se faz a partir de agora é: devemos confiar em Adriano?

Envie seu e-mail para o colunista: deyvidxavier@bastidoresdainformacao.com.br